Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Traição: como a hipnose pode contribuir na superação

Novelas e filmes costumam retratar a traição como algo destrutivo e que deixa muitos traumas. Normalmente, existe uma figura pérfida e manipuladora, que conquista os membros de uma família, se aproxima para conseguir a confiança de todos até que finalmente ela dá o “bote” e mostra a sua verdadeira face.

Ao contrário das histórias, a traição na vida real traz muito menos glamour e planejamento. As pessoas que sentaram em meu consultório e relataram estar envolvidas em traições, trazem feridas mal curadas da infância, relacionamentos tóxicos, e contam histórias em que foram traídas ou que se envolveram com pessoas casadas. Ambas as situações são de dor e sofrimento. Posso dizer que não há vencedor (a) em nenhum dos lados.

Quem sofreu a traição

A pessoa que passou por uma traição demonstra muito ressentimento e muitas vezes já desenvolveu algumas doenças físicas. A maioria são mulheres em crise no casamento. Elas estão passando por um grande sofrimento e optaram por manter a relação. A autoestima já está seriamente abalada e elas se culpam pelo ocorrido. Relatam que engordaram, passaram muito tempo cuidando dos filhos e o discurso é o de que entendem que o companheiro errou, mas que precisam fazer a sua parte. Apesar do parceiro ter traído e mentido, buscam em si a causa do problema.

Há muitas questões a serem levantadas aqui, principalmente a cultural, em que a mulher precisa manter um relacionamento para ser respeitada pela sociedade, mas gostaria de tratar os benefícios da hipnose nestes casos. A traição começa ainda na infância, quando temos uma relação tóxica dentro de nossa casa. Muitas meninas crescem sem nenhuma autoestima, incentivadas a manter um relacionamento a qualquer custo, pois homens “agem mesmo desta forma”.

São muitas histórias de pais ou mães que traíram e foram traídos, violência física e uma construção muito nociva do que é um casamento. As mulheres que são incentivadas a estudar e a trabalhar, aprendem que precisam manter a casa limpa, cuidar dos filhos, ser uma boa profissional e ainda ter um corpo atrativo, pois caso ela não preencha todos esses requisitos, o marido terá o “aval” para procurar prazer fora do casamento.

Quem trai

Esses casos são ainda mais delicados. Mulheres que são amantes de homens casados têm a autoestima ainda mais baixa. Elas sofrem preconceito da sociedade e se envergonham da sua própria história, pois vivem uma vida que precisa ser escondida. As clientes que atendi sofreram inúmeras traições ao longo da vida, que começou na infância, como abandono dos pais, agressões na adolescência e maridos ausentes e violentos, que traiam e humilhavam. O que o nosso subconsciente grava? Já que eles vão trair mesmo, melhor que eu seja a amante e não seja surpreendida.

mulher cabisbaixa chorando

Fonte: 1388843 / Pixabay

Todos são vítimas

Mesmo achando que estão em uma situação de superioridade em relação a esposa, a amante é preterida na maior parte do tempo, pois nunca está em primeiro lugar nos planos do amado. A família normalmente não sabe de sua situação, então as mentiras se tornam constantes. Quando há encontros ou viagens, constantemente eles são alterados de última hora por conta das prioridades do amado, que normalmente é a família dele.

As situações são muitas, mas os finais são os mesmos: pessoas machucadas com a vida desestruturada e, quando há alguma consciência, existe a percepção de que aquela história foi construída por ela mesma, que é necessário sair do papel de vítima e tomar as rédeas da situação.

O mito da Fênix

A Fênix é uma ave da mitologia grega que, quando morria, tinha a capacidade de ressurgir das próprias cinzas. Essa ave é muito simbólica e representa a maioria dos clientes que procura a hipnose: como transformar a dor em crescimento.

Trazer para a consciência feridas que estão em nosso inconsciente é um processo doloroso, mas com o trabalho de um bom hipnoterapeuta, é possível passar por esse momento com um olhar de um aprendiz, para que possamos amadurecer e ultrapassar essas barreiras que nos impedem de ser feliz.

Casal curtindo a felicidade que nunca tiveram

Fonte: Ri_Ya / Pixabay

Uma história com final feliz

Certa vez, recebi uma cliente que aos 65 anos se sentia deprimida e muito doente. Ela se tornara viúva havia poucos anos e estava com um grave problema de tireoide, que, segundo ela, dificultava a perda de peso e deixava ela desmotivada para qualquer atividade. Essa senhora estava aposentada e seus filhos estavam distantes, morando em outras cidades. Ela se sentia só e fracassada. Em sua percepção, sua mãe era fria e crítica, sempre foi dura demais e não a acolhia quando era viva. Seu pai era ausente e não lhe dava carinho.

O marido, que foi seu primeiro namorado, era agressivo, sempre a humilhou e criticava seu corpo. Ao longo dos mais de 40 anos juntos, ele a traiu inúmeras vezes. Os últimos anos ao lado dele foram penosos, ele estava doente e exigia seu tempo e atenção. Ela achava que a vida não havia valido a pena e que deveria ter sido forte o bastante para ter se livrado desse homem e separado quando era jovem. Dizia que não conseguiu viver a vida que queria e seus olhos se enchiam de lágrimas. Ela só enxergava dor e arrependimento.

A vida é assim, a gente queria, a gente deveria, mas nunca conseguimos entender que fazemos as escolhas que somos capazes de fazer naquele momento. Outro ensinamento valioso é de que a vida é agora. Não importa se no passado você foi feliz ou infeliz, temos que nos concentrar no presente. Perdoar quem fomos no passado é extremamente necessário, pois somos resultados do que aprendemos e o despertar pode vir em qualquer tempo, o importante é que ele aconteça.

Bom, a história desta cliente foi muito bonita. Já sem esperanças, após a hipnose ela resolveu tentar. Mas, mais do que isso, ela sabia que ia conseguir. Ela entrou na faculdade que sempre quis cursar. Por meio de uma rede social, encontrou várias amigas da escola que não encontrava havia décadas. Esses contatos começaram a virar encontros, jantares e viagens. Logo ela conseguiu tratar a tiroide e começou a frequentar uma academia. Contratou um personal, pois sabia que se estivesse comprometida com um profissional, teria mais motivação para as aulas de musculação.

Aos poucos, mudando a sua rotina diariamente, seu olhar foi ganhando um brilho e a vontade de estar viva voltava a cada dia. Hoje, aos 67 anos, ela me mandou uma mensagem. Nesses encontros com amigos do passado, conversou com um colega de classe. Estão namorando e com uma viagem marcada. Ela não lembra de se sentir tão plena e segura de si. Hoje, ela percebeu que quando tomou a decisão de mudar, tudo a sua volta também mudou. Pessoas se afastaram, mas novas chegaram. Os ciclos se fecham, mas há sempre oportunidade para recomeçar.

A traição dói, traz marcas, mas não precisamos nos tornar a ferida que reproduz o sofrimento que recebemos nos outros. Nossos pais, avós, companheiros muitas vezes não tiveram a oportunidade de se autoconhecer, fazer terapia e mudar os padrões que estavam inseridos. A hipnoterapia é uma ferramenta que acelera esse processo, desde que seja escolhido um profissional capacitado. Quebrar um ciclo doloroso muda o futuro de nossos descendentes, que vão enxergar as relações de forma saudável e vão passar a fugir de relacionamentos tóxicos. Mudar a nossa vida inspira quem está em nossa volta. É um caminho que vale a pena ser trilhado.

Então, se gostou do artigo, compartilhe com seus amigos e familiares. Até breve! 🙂

Hipnoterapeuta e sócia da clínica Fênix Hipnose, jornalista e escritora. Integrante de um grupo que busca combater a violência contra a mulher, acredita que o tema deva ser levado a todas as esferas da sociedade. Estudiosa de Carl Jung e seus escritos sobre interpretação de sonhos, orienta as pessoas a encarar as suas feridas, a ressignificar suas emoções e a equilibrar relações com pais e companheiros(as).

X