Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Saúde plena: como conquistá-la com a hipnose

Quando falamos em saúde, tocamos em um ponto crucial da nossa sociedade, visto que a cada dia que passa, a nossa saúde está ainda mais comprometida. Mesmo com o grande avanço da medicina, dos tratamentos e dos medicamentos, e com o aumento da expectativa de vida, conquistar a saúde plena ainda é um desafio.

Por muito tempo acreditamos que ter saúde era apenas ter todos os exames clínicos equilibrados ou a ausência de doenças físicas. No entanto, a ciência e a nossa experiência vêm comprovando que estávamos completamente errados. Ter a saúde plena é muito mais do que isso.

O que é saúde?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), saúde é um estado completo de bem-estar físico, mental e social, não consistindo somente da ausência de doenças ou enfermidades. Isso porque muitas pessoas relatam estarem doentes, sem conseguirem sair da cama e até sentindo muitas dores, mas sem alguma alteração clínica ou fisiológica.

Mas se para termos saúde é necessário estar gozando de bem-estar físico, mental e social, precisamos definir o que é bem-estar. Ainda de acordo com a OMS, bem-estar é um estado de ausência de transtornos físicos, psíquicos e sociais. Ou seja, saúde não se resume apenas ao corpo físico ou equilíbrio fisiológico, mas sobretudo depende do equilíbrio emocional.

mulher e homem correndo na praia

Emoções x saúde

Muito se fala atualmente sobre como nossas emoções e pensamentos impactam em nossas vidas e saúde. Alguns estudos até afirmam que nós, humanos, somos seres emocionais e não racionais. Mas as recentes descobertas são realmente impactantes, pois afirmam que emoções negativas têm um grande impacto na saúde.

Pesquisadores do Departamento de Psicologia da Carnegie Mellon University, em Pittsburgh, afirmam que “fatores emocionais podem influenciar a imunidade”. Além disso, o estudo encontrou evidências substanciais de que fatores como estresse, emoções negativas, falta de apoio social e repressão/negação podem influenciar diretamente na nossa saúde, enfraquecendo o sistema imunológico.

O maior vilão da saúde

A definição clássica de estresse é qualquer ameaça real ou imaginária, e sobretudo a resposta do seu corpo a ela. Sabe-se hoje que a resposta do corpo em relação ao estresse abrange mais de 1.400 reações físicas e químicas conhecidas e mais de 300 hormônios diferentes. Quando passamos por estresse, nosso corpo todo reage rapidamente, ativando uma reação de luta ou fuga, liberando adrenalina na corrente sanguínea. A adrenalina eleva a frequência cardíaca e a pressão arterial, tensiona os músculos e acelera a respiração.

Uma série de outros hormônios também são liberados junto com a adrenalina, em reação ao estresse, para que que possamos sobreviver. Isso é normal e natural. Porém o que está prejudicando nossa saúde é o constante uso deste sistema, pois vivemos sob constante estresse. Se não for interrompida, a liberação perpétua desses hormônios pode corroer o corpo como um ácido (livro “A Solução HeartMath”.)

Estudos indicam que apenas alguns minutos de estresse pode manter o nosso quadro hormonal alterado por horas. O estresse crônico é um dos processos mais prejudiciais da atualidade, pois nós somos seres feitos para a sobrevivência, porém na natureza o animal não passa 24 horas por dia com este sistema ativado. Já nós, seres humanos, com nossa rotina cada vez mais agitada e angustiada, ativamos várias vezes e por horas este sistema de sobrevivência, gerando grandes malefícios e desequilíbrios no nosso sistema.

Ou seja, preocupação (estresse) crônica acaba com a nossa saúde, afirma o phD Daniel Goleman em seu livro “O Cérebro e a Inteligência Emocional”. E a pesquisadora Elizabeth BlackBurn afirma que “as pessoas que reagem ao estresse sentindo-se excessivamente ameaçadas envelhecem antes e entram mais cedo nos espectro das doenças.”

mulher pulando de alegria

A boa notícia!

Mesmo convivendo em um tempo de globalização, muita violência e estresse generalizado, existe sim uma boa notícia. É possível viver bem e com a saúde plena em qualquer lugar!

O fato é que vivenciar emoções positivas diariamente tem o poder de inibir e até evitar os malefícios das emoções negativas.  Os cientistas da Universidade de Michigan dizem que emoções positivas (como alegria, interesse romântico e contentamento) minimizam os efeitos nocivos do estresse e a longo prazo melhoram e otimizam as reações de sobrevivência (luta e fuga).

Quando você sente alegria, felicidade, excitação, apreciação, respeito ou amor, seu corpo responde liberando endorfina e oxitocina, muitas vezes chamada de “hormônio do aconchego”, que geram grandes benefícios ao nosso equilíbrio. Nós nos sentimos bem quando temos essas emoções e queremos ainda mais das emoções boas e positivas, como um desejo de drogas. Essas emoções positivas ajudam a eliminar o efeito das emoções negativas no corpo.

Estudos americanos, a maioria feitos por psicólogos, comprovam a relação de sentimentos como gratidão, reconhecimento e satisfação com o que se tem à maior sensação de bem-estar e saúde. A budista americana Carolyn Pasternak também afirma que uma atitude positiva é a chave para uma saúde plena.

Seis dicas para ter uma saúde plena

1) Encontrar significados positivos: encontre significados positivos em eventos e experiências vividas.

2) Ter objetivos: emoções positivas estão ligadas às causas e às consequências do processo de atingir objetivos, principalmente se esses objetivos forem intrínsecos e concordantes.

3) Engaja-se em atividades sociais: participar de atividades sociais e se envolver com a comunidade estão associados a um alto grau de felicidade e satisfação.

4) Meditação e relaxamento: ambas as técnicas produzem resultados benéficos. A meditação nos coloca em um estado alerta e consciente, focado no momento presente, enquanto as técnicas de relaxamento visam descasar o corpo, a mente e liberar tensão.

5) Crenças fortalecedoras: crenças limitantes evocam e reforçam emoções negativas. As emoções negativas, por sua vez, reforçam as crenças limitantes. Saia desse circulo vicioso e desenvolva crenças positivas e fortalecedoras.

6) Carpe diem: “aproveitar o dia”! Desfrute o momento e deixe-se energizar pelos pequenos prazeres da vida, como ouvir boa música e dar risadas com os amigos.

mulher meditando

Hipnoterapia e Saúde

A hipnoterapia é extremamente assertiva para aliviar ou tratar dores emocionais e assim melhorar nossa saúde.

Dia a dia cresce o número de pessoas que procuram a hipnoterapia para diversas causas. Desde depressão, tratamento de dependência química ou até mesmo intolerância à lactose. E já existem inúmeros casos e relatos de pessoas que obtiveram excelentes resultados e significativas melhoras de suas dores. Existem até casos de pessoas que controlavam a glicemia com auto-hipnose, como era o caso de Jerry Kein, hipnoterapeuta famoso e fundador da OMNI.

Mesmo ainda sendo considerada como terapia complementar, muitos médicos psiquiatras e psicólogos já aderiram e direcionam muitos de seus clientes para a hipnoterapia. Ainda falta vencer os preconceitos e medos para que a hipnoterapia possa ser eleita como unanimidade entre os médicos e terapeutas, mas mesmo assim, a popularidade da hipnoterapia cresce dia a dia, graças aos seus resultados.

É claro que em nenhum momento é indicado trocar ou ignorar o tratamento médico e os medicamentos.

Para saber mais sobre a hipnoterapia e como ela pode transformar sua vida, acompanhe nosso portal, divulgue para os seus amigos e curta nossas publicações.

Até o próximo artigo! 🙂

Hipnoterapeuta, coach e mentor de saúde, Samuel é graduado em Educação Física e apaixonado pela Saúde Física e Mental. Possui especialização em Fisiologia e Fisiopatologia do Exercício. Tem experiência de mais de 15 anos na área de emagrecimento, área de sua especialidade, onde já ajudou muitas pessoas a emagrecerem. Por ter atuado como coach de CrossFit e ter competido por muitos anos, também ajuda atletas e aficionados pelo esporte a aumentarem a sua performance esportiva através da hipnose.

X