Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Reeducação alimentar com a hipnose

Vivemos cada dia mais preocupados com a nossa saúde, pensando em como iremos envelhecer e como podemos evitar esta ou aquela doença. Com isso, fica cada vez mais clara a importância dos nossos hábitos na construção e manutenção de nossa saúde. E, por isso, a reeducação alimentar é tão importante.

Como já dizia Hipócrates, o pai da medicina, nós somos o que comemos.

Visto que nos últimos anos a obesidade e o sobrepeso vem crescendo de forma desordenada e desequilibrada, podemos deduzir que nossa alimentação atual está completamente disfuncional. Por esse motivo, a onda de doenças crônicas como diabetes e câncer é crescente, já que essas doenças estão ligadas aos hábitos alimentares.

Mas o fato é: se já existe tanta informação e estudo a respeito, e os impactos negativos da alimentação na nossa vida e saúde são tão claros, por que, então, é tão difícil mudar ou manter uma alimentação equilibrada e saudável?

homem se lambuzando de doce

Fonte: RyanMcGuire / Pixabay

Como nos alimentamos…

Hoje em dia, a alimentação se tornou algo vulgarizado, desvalorizado e cada dia mais no automático. Por isso, na grande maioria das vezes, não nos damos conta da qualidade e da quantidade do que estamos comendo.

Simplesmente por estarmos no automático, fazemos escolhas que conscientemente não faríamos. Não bastando isso, ainda comemos uma quantidade muito maior do que realmente necessitamos, o que gera culpa e desconforto emocional logo após o consumo.

Mas o pior de tudo é que isso não acontece apenas uma vez na semana ou no mês. Isso vai acontecendo dia a dia, se tornando uma rotina.

Com o passar do tempo, o descontrole fica cada vez mais nítido. E então se percebe a grande necessidade de falar sobre reeducação alimentar. Não só em termos de qualidade e quantidade do que se come, mas também sobre como se faz cada refeição.

Ou seja, tudo pode influenciar o tamanho e as opções que vão para o nosso prato. Desde nossas companhias e o ambiente em que estamos fazendo a refeição, até mesmo o nosso estado emocional e como encaramos os momentos de alimentação.

Se sabemos disso tudo e temos uma ideia do que deve ser feito, por que continua tão difícil manter um padrão alimentar e uma vida saudável?

A realidade por trás dos mitos

É muito comum confundir reeducação alimentar com restrição alimentar.

A grande maioria das pessoas entende que, para ter uma alimentação saudável, é necessário excluir tudo de gostoso da vida, deixando as refeições e a vida sem graça e sem prazer.

Mas não é nada disso de que estou falando. Na verdade, inúmeros estudos comprovam que as dietas restritivas, cuja a meta principal é o controle de peso corporal, aumentam a probabilidade e a incidência de transtornos alimentares como compulsão, bulimia e anorexia nervosa, se tornando ineficientes e insustentáveis a longo prazo.

Quando se fala em reeducação alimentar, não é sobre controle ou restrição, muito menos alimento certo ou errado, mas sim sobre equilíbrio e sobre não ser controlado pelos impulsos. A vida está cheia de situações que fogem do nosso controle, mas o equilíbrio está justamente em como agimos ou reagimos a essas situações.

Contudo, existe uma grande diferença entre comer predominantemente comida de verdade e natural e incluir seus desejos neste processo, e comer predominantemente o que você gosta (mesmo que isso te faça mal) e incluir um pouco de comida de verdade e natural às vezes.

Muitas pessoas julgam que têm uma rotina saudável e que estão no controle, mas estão diariamente fazendo a segunda opção. Por que isso acontece?

fantoche sendo controlado

Fonte: kaboompics / Pixabay

Quem está verdadeiramente no controle?

Olhando os fatos atuais bem de perto, podemos concluir que, inevitavelmente, não estamos no controle – nem de nossas vidas e muito menos de nossa alimentação. Ou seja, não controlamos a comida, mas sim a comida que nos controla. Desta forma, permitimos que algo que é feito para gerar equilíbrio e bem-estar nos faça mal, promovendo doenças e desequilíbrios.

Se sabemos que podemos comer de tudo, com equilíbrio, mas não conseguimos evitar aquela vontade descontrolada de comer doce ou alguma guloseima que somos apaixonados, e comemos muito além do que deveríamos, sentindo culpa e desconforto após o consumo, isso significa uma coisa: que nós, definitivamente, não estamos no controle.

Então quem está no controle?

Bem, esta resposta está cada dia mais clara, através dos estudos da neurociência.

Estudos recentes comprovam que o centro real da tomada de decisões em nossas vidas é nosso cérebro emocional. Ou seja, todas ou a grande maioria das decisões são feitas de forma emocional. Por isso que é tão difícil controlar ou evitar aquele ato disfuncional compulsivo.

No livro “A lógica do consumo”, Martin Lindstrom comprova através de longos estudos que quem define se você escolhe Pepsi ou Coca Cola, por exemplo, é sua mente emocional e não a racional.

Logo, todos os nossos comportamentos alimentares são construídos e regidos pela nossa mente emocional. Por esse motivo, qualquer restrição alimentar ou algum outro tratamento possivelmente não terá o resultado esperado, muito menos será sustentável, pois não estará tratando a causa, e sim o sintoma.

Reeducação alimentar e hipnoterapia

A hipnoterapia tem se mostrado muito eficiente no processo do emagrecimento e na mudança de hábitos e reeducação alimentar. Isso porque ela trata a origem do problema e não a causa, como os tratamentos mais conhecidos.

É muito simples de entender a lógica por trás da situação. Imagine a seguinte situação:

Dois garotos conversam sobre o futuro. O primeiro começa a dizer como ele quer ser grande e ajudar as pessoas e o mundo. E então ele diz que sonha em ser como Steve Jobs para criar algo novo, ajudar as pessoas, facilitar suas vidas e mudar o mundo para melhor.

Ao ouvir isso, o segundo garoto começa falar sobre seu sonho. De forma maquiavélica e malvada, ele diz que deseja dominar as pessoas, fazer o mal e ser igual ao seu ídolo Adolf Hitler. Ele afirma que não se importa com a dor e com o sofrimento da grande massa, desde que ele esteja no poder, não importando o que tenha que ser feito para ter este poder. Mesmo que maltrate ou mate pessoas, para ele está tudo bem.

Não precisamos de muito estudo nem de grandes conhecimentos para perceber que, por trás desta motivação, existe uma emoção disfuncional impulsionando o garoto.

Da mesma forma é quando sabemos qual tipo de alimentação nos faz bem e gera saúde e equilíbrio, além de sabermos e conhecermos o que devemos comer de forma equilibrada para evitar um desequilíbrio ou mal maior, mas acabamos não fazendo isso. Fica fácil perceber que existe uma emoção disfuncional por trás deste comportamento. Afinal de contas, racionalmente ninguém quer ter doenças e sofrer com o sobrepeso e obesidade.

E, no fundo, mesmo que a pessoa não apresente obesidade ou alguma doença física, o desequilíbrio emocional já está instalado.
Uma dica simples e muito eficiente para mudar este quadro é fazer as suas refeições de forma presente e completamente consciente. Notando se há excessos ou se existe algo te dominando em sua alimentação.

A hipnoterapia não promete cura, mas dia após dia, vem comprovando a sua eficácia nos processos de emagrecimento, reeducação alimentar e mudança de hábitos.

Quer saber mais como a hipnoterapia pode te ajudar? Acompanhe o portal HypnoPlace!

Em breve, muito mais artigos do seu interesse estarão no ar. Se você gostou do artigo, compartilhe. Forte abraço e até mais!

Hipnoterapeuta, coach e mentor de saúde, Samuel é graduado em Educação Física e apaixonado pela Saúde Física e Mental. Possui especialização em Fisiologia e Fisiopatologia do Exercício. Tem experiência de mais de 15 anos na área de emagrecimento, área de sua especialidade, onde já ajudou muitas pessoas a emagrecerem. Por ter atuado como coach de CrossFit e ter competido por muitos anos, também ajuda atletas e aficionados pelo esporte a aumentarem a sua performance esportiva através da hipnose.

X