Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Quanto devo cobrar por uma sessão de hipnose?

Quando fiz minha formação em hipnoterapia, um ponto que gerou bastante debate na turma foi quanto cobrar por uma sessão de hipnose. Sabemos que a hipnoterapia é uma ferramenta extremamente efetiva para o tratamento de vários transtornos, que exige qualificação e, portanto, as sessões deveriam ter um preço “elevado”. Por outro lado, muitos estão começando e não se sentem seguros em cobrar um valor considerado “alto”.

Por conta disso, decidi escrever esse post para ajudá-lo a chegar a um preço que seja ideal para cada cenário. Antes de falar da precificação em si, é importante entendermos como as pessoas decidem contratar seus serviços.

Como as pessoas decidem contratar uma sessão de hipnose?

Sempre que um cliente em potencial está à procura de um produto ou serviço, há uma necessidade que está lhe motivando. Se minha filha vai comprar uma caneta BIC para fazer uma prova, há uma necessidade por algo que permita que ela escreva. Se estou na Boticário comprando um perfume para o aniversário de uma amiga, há uma necessidade por um presente. Se estou comprando um sanduíche na Subway, há necessidade por um alimento (também chamada de fome! ?), e por aí vai…

No caso da sessão de hipnoterapia, há uma necessidade ligada a algum tipo de transtorno ou oportunidade de melhoria visualizada pelo cliente em potencial. Pessoas com depressão e ansiedade desejam se livrar desses males, concurseiros desejam maior foco e efetividade nos estudos, e atletas e gestores buscam mais performance profissional.

Ao buscar uma solução que atenda às suas necessidades, normalmente um cliente em potencial se faz duas perguntas:
• O que vou receber em troca do que estou pagando?
• Há alternativas mais baratas do que essa?

O interessado se tornará um cliente dependendo das respostas a essas perguntas. Por conta disso, vamos falar de cada uma delas.

Quanto devo cobrar por uma sessao de hipnose

Preço x Valor

Quando compramos algo, pagamos uma determinada quantia (o preço) e recebemos algo em troca (o valor). Ao tomar uma decisão de compra, o cliente em potencial coloca os dois na balança e analisa.

Caso a percepção de valor seja maior do que o preço, ele acreditará que está recebendo mais do que está pagando e estará propenso a realizar a compra. Se ele acredita que está recebendo menos do que está pagando, ele vai achar o serviço caro e não irá contratar.

Diante disso, você precisa se perguntar o seguinte: o que eu entrego na minha sessão de hipnoterapia é percebido como muito mais do que ele está pagando?

Note que destaquei a palavra “percebido”. Muitas vezes, o profissional tem a capacidade de entregar um ótimo resultado para seu cliente, mas o cliente não percebe isso, pois o consultório é desorganizado, o hipnoterapeuta não se veste bem e sua comunicação não é feita por uma agência profissional.

E aí não adianta você ter um serviço ótimo, que não parece ser ótimo. Nesse caso, como o valor percebido é baixo, você precisa baixar o preço para que a compra se torne interessante.

Há alternativas mais baratas?

Outro ponto importante na análise do cliente é se há outras opções mais baratas disponíveis para resolver a necessidade dele. E aqui entra em discussão a comparação do preço das sessões de hipnoterapia com outros tipos de atendimento, como psicanálise para problemas emocionais, por exemplo, ou coaching para questões ligadas a alta performance.

Apesar do preço da sessão de hipnoterapia normalmente ser superior ao de outras abordagens terapêuticas, vários profissionais apontam efetividade bastante superior no tratamento com hipnose. Por exemplo, já ouvi vários relatos de pessoas que passaram meses fazendo psicanálise com pouca evolução terem uma grande melhora com 01, 02 ou 03 sessões de hipnoterapia.

O que precisa ser comparado não é o preço de 01 sessão, mas sim do tratamento como um todo. Aí observamos que faz todo sentido cobrar um preço mais elevado pela hipnose, pois ainda assim o tratamento como um todo sairá mais barato para o cliente.

Apesar disso, algumas pessoas optam por cobrar um preço baixo pelos seus serviços…

Por que cobrar um preço baixo pela hipnose?

Apesar de haver vários motivos para cobrar um preço elevado por seus atendimentos (falarei sobre 05 deles daqui a pouco), vejo hipnoterapeutas cobrando valores baixos por suas consultas. Quando converso com eles, 03 argumentos são comumente apontados.

Argumento 1: Não tenho segurança

Esse motivo é bastante comum, especialmente entre os recém-formados. Por não terem muita segurança ainda no processo, decidem cobrar pouco para não sentirem que estão “enganando” o cliente.

Para superar esse problema, minha sugestão é buscar segurança o mais rápido possível. Assistir a vídeos com sessões de terapia ajudam muito no processo. O canal do Rafael Kraisch no Youtube tem algumas sessões bem legais e você pode assistir a algumas delas abaixo:

Além de aprender com os mestres, nada melhor do que praticar para ganhar experiência. Sempre temos pessoas próximas que passam por dificuldades e que podemos ajudar. Lembrando que bastam poucos atendimentos para ganhar a segurança necessária.

Argumento 2: Não tenho depoimentos/cases

Algumas pessoas até têm segurança do processo, mas cobram um preço muito baixo porque ainda não têm depoimentos e cases. Nesse caso, a estratégia pode ajudar a conseguir os primeiros depoimentos e cases, porém tenho 2 considerações relativas a isso.

Primeiramente, é necessário ter cuidado com o preço baixo, pois você será visto como alguém que cobra “barato” e essa imagem pode lhe afetar (falarei mais à frente sobre isso). Para evitar esse problema, você pode informar o preço ideal de seu atendimento e dar um bom motivo para estar dando um desconto para seu cliente. Permutas também podem funcionar bem nesse sentido.

A outra consideração é que você não precisa de muitos cases. Muitas vezes, um único depoimento de alguém que você atendeu (podendo inclusive ser alguém próximo que você atendeu para ganhar confiança, como citei acima) é suficiente para que o interessado confie em você e lhe contrate. E a partir daí, cada novo atendimento se torna um depoimento/case.

Argumento 3: O cliente não pode pagar

Muita gente que trabalha com hipnoterapia é movida pela satisfação de ajudar ao próximo. São pessoas que vibram ao transformarem a vida de seus clientes e fariam isso até de graça.

Por conta disso, quando encontram pessoas que afirmam que não podem pagar o valor cobrado pelos seus serviços, esses terapeutas ficam bastante motivados a baixarem seus preços.

O problema é que isso gera o problema que já citei anteriormente, de associar seu nome a alguém que cobra barato. Além disso, muitos clientes possuem condição de investir no tratamento e simplesmente estão buscando pagar menos pelos serviços. Nesse caso, normalmente esse é o perfil de cliente que dá muito trabalho, se dedicando pouco ao tratamento, exigindo sessões extras e falando mal dos seus serviços depois.

Por fim, quem realmente precisa de uma terapia dará um jeito de conseguir o recurso necessário para lhe contratar. É muito provável que alguém que diz que não pode pagar pelo seu atendimento esteja com um smartphone de R$ 1.500,00 no bolso, que ele comprou por ter tido uma necessidade e acreditado que valia a pena investir para satisfazê-la. Por que não fazer um investimento similar em algo que mudará sua vida definitivamente?

Por fim, lembre-se: você não precisa ser o salvador do mundo. E se realmente você quer ajudar pessoas que não podem pagar pelo tratamento, você pode fazer um trabalho social regular, definindo um turno por semana para atender em uma ONG, por exemplo.

Eu particularmente procuro contribuir regularmente com o Centro Social Dom João Costa, ministrando treinamentos sobre planejamento de carreira para a comunidade. Não recebo remuneração alguma por isso, mas sinto um prazer imenso em contribuir com os participantes dos cursos.

Agora que já vimos os principais argumentos que fazem os terapeutas cobrarem barato, vamos ver alguns motivos para cobrar mais.

Por que cobrar mais pela hipnose?

Na seção anterior, ao explicar porque alguns terapeutas tendem a cobrar um preço baixo, já expus alguns aspectos pelos quais isso não é recomendável. Além do que já foi citado, há 5 outros motivos pelos quais você deve cobrar mais por suas sessões de hipnose.

Motivo 1: Para que a hipnose funcione

Todo hipnotista sabe que hipnose é questão de atitude mental. Se o sujeito não confia em você ou não acredita que você pode hipnotizá-lo, dificilmente ele entrará em hipnose.

Cobrar um preço mais alto por sua consulta gera maior comprometimento por parte do sujeito. Consequentemente, isso fará com que ele se dedique mais ao processo, proporcionando mais sucesso ao tratamento.

Motivo 2: Percepção de valor

As pessoas tendem a valorizar aquilo que é mais caro. Se alguém entra em uma loja de roupas e vê duas calças jeans semelhantes uma por R$ 200,00 e a outra por R$ 300,00, ela acreditará que a mais cara é melhor que a mais barata.

Profissionais que são amadores em sua área de atuação normalmente cobram barato por seus serviços. Se você cobrar um preço baixo, imagine como será visto pelo seu público…

Isso pode ocorrer mesmo que você seja bastante competente, até mesmo porque o cliente pode nem te dar a oportunidade de demonstrar sua competência.

Motivo 3: Você precisa investir

Para ser um profissional de qualidade, é necessário estar continuamente se capacitando. E os melhores treinamentos de hipnose não são baratos.

Você precisa pagar a inscrição e, dependendo do local, passagem e hospedagem. Sem falar que quando está viajando, você para de faturar, por não estar atendendo.

Além de capacitação, para proporcionar o melhor a seus clientes, você desejará investir no consultório, móveis, atendimento e tudo isso requer um investimento que dificilmente você conseguirá fazer se não cobrar um valor justo em suas consultas. ?

Motivo 4: Se remunerar bem

Outro motivo para cobrar pela hipnose é receber uma boa remuneração. Passamos boa parte de nossas vidas trabalhando e ganhar bem é fundamental para manter nossa motivação em alta.

Se tratamos os outros e os ajudamos a serem felizes, nada mais justo do que nós também sermos, não é?

Motivo 5: A dor é grande

Como citei anteriormente, toda compra é motivada por uma necessidade. Mesmo a compra de produtos considerados “supérfluos”, como um carro de luxo, está associada à necessidade de status e de pertencer a um determinado grupo social.

De modo geral, quanto mais intensa e frequente for uma necessidade, maior a chance da compra ocorrer. É por isso que se estamos atrasados para um aniversário (necessidade mais intensa), podemos comprar um presente mais caro em um local, mesmo sabendo que em outro local mais distante teria mais barato.

E se em nossa casa se quebrarem a geladeira e a batedeira, consertaremos imediatamente a geladeira e a batedeira poderá ficar quebrada por meses, pois utilizamos esse eletrodoméstico muito pouco (necessidade menos frequente).

No caso da hipnose, muitas vezes estamos lidando com problemas que incomodam bastante o cliente, de modo que ele estará bastante disposto a investir para resolver seu caso. E se compararmos o custo de um tratamento com hipnoterapia a outras modalidades terapêuticas, veremos que a hipnose é bastante “barata”, mesmo com uma sessão com preço “elevado”.

Quanto devo cobrar por uma sessao de hipnose

E quanto cobrar, finalmente?

Não há uma regra absoluta para precificação na hipnoterapia, até mesmo porque o próprio formato de cobrança varia.

Alguns hipnoterapeutas realizam uma consulta de avaliação (pre-talk, convincer e anamnese) por um preço menor e depois realizam a consulta com a terapia em si por um preço mais elevado. Outros já fazem a avaliação com pre-talk e o atendimento no mesmo encontro. Com relação ao tratamento em si, alguns profissionais trabalham focados em tratarem os clientes em 01 sessão de atendimento e 01 de retorno, enquanto outros atuam com pacotes com mais sessões.

Com relação ao preço propriamente dito, normalmente a avaliação gira em torno de R$ 200,00. O atendimento principal possui uma grande variação: conheço hipnoterapeutas recém formados que cobram R$ 1.200 pela consulta terapêutica e outros mais experientes que cobram até R$ 3 mil por um atendimento. Algumas pessoas consideram esses preços elevados, mas se considerarmos a efetividade do tratamento e o quanto seria investido em inúmeras sessões com outras abordagens, ele é um investimento relativamente baixo.

Com relação a tratamentos posteriores, vejo profissionais oferecerem grandes descontos, o que considero desnecessário. Claro que precisamos surpreender nossos clientes, mas se ele já lhe contratou anteriormente e ficou satisfeito com seus serviços (caso contrário, não estaria lhe contratando novamente), por que cobrar um preço tão baixo?

Existem outras formas de fidelizar e agradar nossos clientes, como oferecendo algum bônus (ex. instalação de gatilho de auto-hipnose) e sessões extras mais curtas, por exemplo.

Minha sugestão final é: defina o preço que você acha justo, que te valorize e permita que você invista em sua carreira e no seu consultório. E lembre-se de que você sempre pode testar um preço mais baixo caso esteja cobrando um preço alto e não esteja conseguindo fechar. Lembrando que quando o cliente acha caro, normalmente é porque não houve percepção de valor.

O que você achou do artigo? Deixe seu comentário e até mês que vem! ?

Professor, consultor em marketing digital, hipnoterapeuta OMNI e empresário, à frente do Portal Digaí e da agência Unu Digital. É graduado em Ciência da Computação, mestre e doutor em Administração e pesquisador nas áreas de Empreendedorismo, Negócios e Marketing Digital. Já ajudou milhares de empresas e profissionais liberais a aumentarem sua visibilidade e multiplicarem suas vendas com a ajuda da internet. É autor e coautor de vários livros e e-books, dentre os quais “Negócios Digitais” (best-seller da Veja) e “Seu Site no Topo” (mais vendido da categoria na Amazon Brasil no mês do lançamento).

X