Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Perdão: Como a hipnoterapia pode te ajudar

Você já deve ter ouvido a frase: “Guardar mágoas é como tomar veneno e esperar que o outro morra”. Embora compreendemos que guardar mágoas só aprisiona e faz mal para quem sente, não é fácil conseguir perdoar.

Se você quer perdoar, mas ainda percebe que existem alguns bloqueios que impossibilitam o seu perdão, nesse artigo vou te mostrar algumas percepções sobre o perdão. Peço que leia com o coração e a mente abertos, pois vou ensinar alguns passos para que você consiga ou saiba o caminho para conseguir perdoar, se livrar do peso que carrega, dar lugar aos bons sentimentos e ter uma vida mais leve.

mulher feliz de braços abertos

Fonte: jill111 / Pixabay

Perdão: Por que praticá-lo?

Uma psiquiatra chamada Karen Swartz disse que “há um enorme fardo físico ao se sentir ferido e desapontado” e afirmou que a raiva te posiciona em um modo de luta ou fuga, tendo como consequências: alterações na frequência cardíaca, pressão arterial, depressão, diabetes, entre outros.

Quando guardamos e nutrimos essas emoções, elas podem afetar e impactar nossos relacionamentos atuais e diversas áreas da nossa vida.

Muitas pessoas que conseguem se perdoar ou perdoar alguém sentem, de forma imediata, uma sensação de alívio, tranquilidade, um sono com mais qualidade, um melhor funcionamento do sistema imunológico e percebem-se livres das emoções que causavam tanta dor e sofrimento.

Afinal, tudo o que não liberamos do outro acaba nos prendendo. Ou seja, perdoar nos liberta e faz com que retomemos o controle sobre nossas próprias vidas.

A história de Ana

Em praticamente todas as hipnoterapias que atendo, faço a terapia do perdão com a pessoa em hipnose.

Durante a terapia, eu peço que a mente subconsciente mostre a pessoa que mais a magoou. Em um atendimento, para a minha surpresa, a mente da minha cliente trouxe ela mesma.

Essa cliente, que chamarei de Ana, desenvolveu uma doença na infância e o médico disse que ela ficaria cega. Quando recebeu a notícia, foi como se os seus sonhos fossem impossíveis de ser realizados. Ela ficou depressiva e com raiva de tudo e de todos.

Conforme o tempo foi passando, Ana foi perdendo a visão aos poucos e isso fez com que ela sentisse cada vez mais tristeza e raiva.

Constantemente arrancava os pelos das suas sobrancelhas, os fios do seu cabelo, as unhas das suas mãos e era sarcástica consigo e com as pessoas ao seu redor.

Ao fazer a terapia do perdão, percebeu que ela foi a pessoa que mais a feriu, que mais a machucou, tanto fisicamente quanto com palavras – além da negatividade e ao acreditar que não poderia ser feliz por conta da deficiência.

Ana compreendeu durante a terapia que tinha muitas coisas boas na sua vida, sonhos que poderiam ser realizados. Aprendeu a se amar, a lidar e aceitar melhor a sua condição,  sentir gratidão e ser feliz.

Assim como Ana, muitas outras pessoas que atendi tinham dificuldade em se amar, se aceitar do jeito que são e de conseguir se perdoar de alguns erros que cometeram.

Se você também se arrepende de coisas que fez, saiba que você é digno de perdão. Seja mais gentil com você mesmo e saiba que não importa o que aconteceu, sempre é possível recomeçar.

Tesouro

Em uma escola, a professora fez uma dinâmica com os seus alunos, onde ela entregou a cada aluno uma caixinha e pediu para que eles observassem atentamente o tesouro que havia lá dentro. Ao abrir e olhar para dentro da caixa, o aluno via um espelho e o seu reflexo, revelando que o tesouro era ele mesmo.

A intenção da professora era explicar para as crianças que somos seres únicos, especiais e por isso devemos nos cuidar e nos valorizar.

Assim como a professora fez, meu objetivo é que você também tenha a consciência de que dentro de você há uma pessoa maravilhosa.

mão aberta simbolizando cinco passos

Fonte: Bru-nO / Pixabay

5 passos para o perdão

Aqui, eu irei explicar quais são os 5 passos para o perdão.

1º Passo: Decidir perdoar

Existem muitos casos em que perdoar é difícil e desafiador, mas lembre-se: perdoar é possível e libertador.

Primeiramente, é necessário compreender que continuar guardando esses sentimentos dentro de você só irão te fazer mal e não vão modificar o que aconteceu. Portanto, é inútil continuar culpando, odiando e alimentando essas emoções.

Mesmo que você queira, mas não consiga perdoar, decidir pelo perdão é uma decisão, é o primeiro passo. Provavelmente você está ferido, mas perdoar é decidir não guardar aqueles sentimentos dentro de você e permitir que esse ressentimento vá embora.

Significa que você decide que o que aconteceu não vai mais influenciar na sua vida, que você está deixando ir e se libertando daquela mágoa. Significa sair do papel de vítima e retomar o controle sobre a sua vida.

Deixando claro que perdoar não é esquecer o que a pessoa fez, mas lembrar sem uma emoção negativa associada.

Peço que pare para refletir um pouco nas respostas das perguntas abaixo:

  • Quais benefícios vou ter em minha vida se perdoar?
  • Decidir não perdoar tem afetado negativamente a vida?
  • Continuar carregando essa mágoa trará a longo prazo quais as consequências para minha saúde e minha vida?

2º Passo: Liberar as emoções

Deixe vir todas as emoções negativas que tem em relação a pessoa e/ou situação. Permita-se chorar, bater em uma almofada ou gritar.

Escreva uma carta. Pegue uma folha de papel e escreva uma carta direcionada à pessoa que lhe fez mal, escrevendo tudo o que gostaria de falar: como o que ocorreu o magoou, como você se sentiu e sente até hoje e como o que aconteceu atrapalhou a sua vida até hoje.

3º Passo: Compreensão

Depois de escrever a carta e ter liberado todas as emoções, quero que imagine a situação abaixo.

Imagine a pessoa que lhe prejudicou nascendo, um bebê frágil, puro e inocente. Você acredita que esse bebê nasceu com a intenção de fazer o mal? Eu acredito que não.

Acredito que esse bebê cresceu, passou por momentos difíceis e aprendeu através das suas experiências. Assim como eu e você, também repetiu padrões de comportamento dos seus pais e das pessoas que o criaram, e agiu de forma automática. Ou seja, essa pessoa é só o resultado das suas programações e experiências.

Quero que se imagine olhando dentro dos olhos da pessoa que te magoou e veja que lá dentro também há dor e sofrimento.

Compreender isso não significa que você concorda com a outra pessoa, mas que entende as causas e condições que a influenciaram a ter uma atitude inadequada.

Muitas vezes você pode ter pensado que não agiria da mesma forma que a pessoa agiu, mas você não sabe exatamente o que ela passou, qual a sua jornada, as coisas que a feriram também.

E que talvez por ter sido tão machucada, aquilo se tornou um padrão conhecido para a mente e ela simplesmente não sabia se comportar de outra maneira.

Quero que perceba que o que ocorreu também trouxe lições e aprendizados, como por exemplo, não agir da maneira que agiram com você e que o que lhe aconteceu te tornou uma pessoa mais forte.

4º Passo: Perdoar

Agora que escreveu a carta, liberou os seus sentimentos e se colocou no lugar da pessoa, pode rasgar a carta como se estivesse se livrando de todo o peso daquelas emoções. Imagine a pessoa e fale para ela de forma sincera: “Eu te perdoo e te liberto. Eu me liberto desse peso. Agora você está livre. Agora eu também estou livre.”

5º Passo: Auto perdão é essencial

Você também precisa se perdoar.

É muito comum para algumas pessoas sentir que é mais fácil perdoar o próximo do que a si mesmo. E em casos de abuso sexual, a pessoa muitas vezes sente culpa.

Assim como a história do tesouro, é importante compreender que você não teve culpa, que você é um ser único e especial.

E que se errou, compreender que somos resultados de programações, mas que podemos fazer de maneira diferente; Saber que todos erramos, mas que aprendemos com nossos erros e somos dignos do nosso perdão.

Fale para você mesmo de forma sincera e com muito amor: “eu me perdoo e me liberto”.

Mente subconsciente

Dependendo do caso, os 5 passos podem ser o caminho para perdoar alguém e se perdoar, mas eles são realizados de maneira consciente. Pode ser que você tenha seguido os passos, mas ainda perceba emoções e dificuldade em perdoar ou se perdoar.

Se sentir essa dificuldade e concluir que apenas de forma racional não é possível perdoar, procure um hipnoterapeuta para que possa seguir em frente e se livrar desse peso emocional.

Em hipnose, conseguimos acessar a mente subconsciente, a parte das nossas emoções. E quando acessamos a mente subconsciente, conseguimos transformações muito profundas,  pois atuamos diretamente nas emoções e em nossas programações. Nesse estado, é mais fácil conseguir o perdão.

Então, se gostou do artigo, faz o exercício! Me conte nos comentários como foi e compartilhe com seus amigos e familiares!

 

Hipnoterapeuta pela OMNI Hypnosis Training Center.  Membro da National Guild of Hypnotists – NGH, especialista em Hipnose para Crianças – HypnoKids. Como hipnoterapeuta vem atuando com adultos e crianças, ajudando-os a melhorarem sua autoestima, serem mais confiantes e a despertarem o potencial que há dentro de cada um, de forma rápida e duradoura.

X