Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Mito sobre hipnose: cuidado com o que você acredita

Apesar de estar ganhando cada vez mais visibilidade na mídia e em pesquisas científicas em instituições respeitáveis, como USP, Harvard e Stanford, algumas pessoas ainda acreditam em algum mito sobre hipnose.  Além disso, cada vez mais profissionais de diferentes áreas (médicos, psicólogos, dentistas, terapeutas) vem buscando se especializar nesta ferramenta incrível.

Então, por que será que muitas pessoas ainda tem preconceito e crenças duvidosas sobre hipnose? Se você é uma destas pessoas e também tem dúvidas sobre o assunto, aproveite este artigo para esclarecer as ideias e compreender como essa ferramenta pode transformar muitas vidas. Vamos lá?

#1 Em hipnose ficamos inconscientes

Esse é um dos principais mitos sobre hipnose.  Durante as sessões, nós, hipnoterapeutas, trabalhamos com sugestões diretas para ajudar o cliente a desbravar esse o oceano profundo que é a mente. Isso só é possível, se ele estiver totalmente consciente e no controle de suas emoções.  Afinal, como alguém que está dormindo poderá seguir sugestões?

Durante toda a sessão é necessário que o cliente interprete, analise e interaja com o terapeuta e fale sobre suas sensações durante o processo de ressignificação, atuando de maneira ativa juntamente com o hipnoterapeuta. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Ficar inconsciente durante o processo é um mito sobre hipnose

Fonte: Pixabay

#2 Posso ficar “preso” na hipnose e não voltar mais

Esse mito sobre hipnose é alimentado pelos filmes de Hollywood onde vemos o hipnotista “dominando” a mente das pessoas e deixando-as num estado quase catatônico.  Tudo isso não passa de ficção! Durante a hipnose, trabalhamos níveis de transe e aprofundamento que permitem ao cliente ter um estado alterado de consciência, contudo, ele pode “voltar” do transe a qualquer momento já que está consciente o tempo todo.

No consultório já tive sessões que tiveram duração bem longa e, por conta disso, o paciente pediu para fazer uma pausa para usar o banheiro. A sessão foi pausada e depois retomada normalmente, tendo excelentes resultados.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

#3 Existem pessoas que não são hipnotizáveis

Esse é um mito que é meio verdade, existem dois tipos de pessoas que não são hipnotizáveis: aquelas que tem medo e aquelas que não querem passar pela experiência.  Toda hipnose é, na verdade, uma auto-hipnose; portanto só será possível que uma pessoa seja hipnotizada com a ajuda do hipnoterapeuta, se de fato ela estiver aberta e com a atitude mental correta para passar pelo processo.

Um primo deste mito sobre hipnose é a crença de que as pessoas “mais hipnotizáveis” são aquelas que tem a “mente mais fraca”, ledo engano! Se isso fosse verdade, todas as pessoas que conseguem ter foco e concentração numa única coisa, seriam consideradas mentalmente fracas. Afinal, quando estamos em hipnose, estamos no estado de hiper foco e hiper concentração.

 

#4 Hipnose é lavagem cerebral

Na hipnoterapia trabalhamos forte com a dessensibilização de fatos traumáticos e ressignificação de eventos negativos do passado, tudo isso para que o cliente possa ter uma atitude mais positiva sobre si e sobre as coisas que aconteceram com ele.

Por exemplo, se uma pessoa cresceu ouvindo que não consegue fazer nada sozinha, é bem provável que em sua vida adulta, crie relações de dependência que desencadeiam sentimentos de insegurança e de falta de autoconfiança em si mesma.

Neste sentido o hipnoterapeuta trabalhará as programações mentais e emoções atreladas às memórias desta pessoa, para que ela se sinta mais segura, autossuficiente e confiante. Mas isso está longe de ser uma “lavagem cerebral”.⠀⠀

#5 Hipnose é algo esotérico

Hipnose não tem a ver com religião ou misticismo, mas sim com ciência.  Existem vários estudos que mostram as alterações neuroquímicas que o cérebro desencadeia quando está em hipnose, bem como os benefícios que se desdobram disso.

É fato que espiritualidade e a ciência andam de mãos dadas, prova disso é a procura cada vez maior de religiosos que estão se especializando em hipnoterapia, padres, pastores, freiras; isso pode gerar alguma confusão na cabeça das pessoas.

Hipnoteria ser algo esotérico é um mito sobre hipnose

Fonte: Pixabay

#6 Não vou lembrar de nada

Como já esclarecido no começo do artigo, durante a sessão de hipnoterapia, o cliente está totalmente consciente e no controle do que está acontecendo. Isso implica saber quais foram as memórias resgatadas e todas as emoções sentidas, nos recursos internos que foram alavancados durante o processo.

Significa que, ele não apenas se lembra de tudo o que acontece durante a sessão, como terá esta memória ativa durante para auxiliá-lo nos momentos desafiadores da sua rotina.

 

(#7) Serei manipulado para contar segredos

Assim como em qualquer processo terapêutico, que seja conduzido de maneira ética e idônea, jamais acontecerá de o terapeuta forçar algo que o cliente não esteja preparado ou queira lidar. A sessão de hipnoterapia é um espaço seguro, neutro, acolhedor e livre de julgamentos. Logo, o cliente só irá compartilhar aquilo que ele quiser com hipnoterapeuta.

Por isso, é muito importante escolher com cuidado o profissional que irá acompanhar o processo, além de ter uma relação de inteira confiança e conexão.

 

(#8) Hipnose e regressão são a mesma coisa

O chamado “regress to cause” ou “regressão à causa” é uma das técnicas que o hipnoterapeuta pode usar durante o processo do cliente, mas não é a única. Existem inúmeras técnicas, cada uma direcionada a objetivos diferentes que, dependendo do caso, pode ser tão ou mais eficaz que a regressão.

Dentre elas podemos citar a terapia de partes, meta-padrão, ultra-high, ultra-healing, ponte ao futuro, dentre outras. Um hipnoterapeuta que tenha feito sua formação numa escola conceituada, terá um bom repertório e expertise para avaliar qual delas é mais indicada a cada caso.

 

(#9) A hipnose é uma solução milagrosa

Esse é um mito sobre hipnose que faço questão de desmentir! Não existe nada de milagroso ou mágico no processo de hipnose. E tão pouco é um processo “passivo”,  pois o cliente tem papel de protagonista no processo e só obtêm um bom resultado, se de fato estiver cem por cento comprometido e disposto a mudar.

A hipnose não é uma garantia de cura, ela é sim uma ferramenta que apoia o processo terapêutico e que pode ter resultados excelentes no tratamento tanto de doenças físicas quanto questões de ordem emocional.

 

E aí, você também acreditava em algum mito sobre hipnose? Conte pra gente nos comentários e lembre-se de compartilhar este artigo com pessoas que gostam do assunto. A melhor arma contra o preconceito é informação. Até a próxima!

 

 

 

 

Psicóloga, hipnoterapeuta Omni, practitioner em PNL e coach da mente.  Membro IBHEC (International Board Of Hypnosis Educational & Certification).  Pós-graduada em Gestão Estratégica de Pessoas, especializou-se em Transe Conversacional com Elisabeth Erickson, Neurociência aplicada ao comportamento humano e Psicologia positiva.   Acredita que o sentido da vida é encontrar o seu dom, e o propósito da vida é oferecê-lo, por isso, atua há 20 anos com desenvolvimento humano. É empresária e fundadora da Epopéia Ltda. Embaixadora da Rede Mulher Empreendedora em Campinas.  Voluntária Humanitarian Coaching Network que provê serviços de coaching para líderes da ONU e UNICEF.

X