Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Matrix: descubra se estão controlando você

Se você já assistiu Matrix, provavelmente lembrará da seguinte cena: o personagem Morpheus está andando com o Protagonista (Neo) pela cidade, quando passa uma linda mulher com vestido vermelho.

Nesse momento, Neo se vira para olhar, então Morpheus pergunta se estava prestando atenção nele ou na mulher de vermelho. Essa cena, explica muito mais sobre nossa mente e como estamos hipnotizados todos os dias.

O objetivo deste artigo é aprofundar nisto: como no filme, será que também somos controlados?

E para adiantar, a resposta é SIM.

Quer saber como? Então continue lendo para entender os seguintes pontos:

  • Matrix: a analogia que o filme faz com a nossa vida
  • Como somos controlados desde quando nascemos
  • O porquê você nunca ter tido consciência disso
  • Como você não sabe o tamanho do impacto 
  • O que fazer para sair dessa prisão

Matrix: analogia que o filme faz com a nossa vida

No filme, a Matrix representa um mundo virtual criado pelas máquinas, onde toda a humanidade vive “presa” em um sonho contínuo. Dessa forma, as máquinas mantêm os corpos dos humanos adormecidos e se “alimentam” com a energia de seus corpos.

Porém, ninguém tem consciência disso, pois já nasceram nesse mundo e para as pessoas que vivem na Matrix, aquela é a realidade.

E assim também é a nossa vida. Desde quando nascemos estamos imersos a uma sociedade com regras, padrões e conceitos prontos. Aquilo que você não seguir ou não concordar, só faz de você uma pessoa “errada” ou, no mínimo, estranha.

Por isso, parece tão difícil conseguirmos resultados que fogem dos padrões considerados normais, da mesma forma que no filme é muito difícil sair da Matrix.

bebê tocando na mão da mãe ao nascer

Fonte: Pixabay

Como somos controlados desde quando nascemos

Na cena que mencionei no início deste artigo, a mulher de vermelho foi colocada naquele momento, propositalmente, para distrair o Neo. Com o objetivo de ensinar que ele não poderia confiar em ninguém de lá, por mais que lhe atraísse.

Mas não seria qualquer mulher que chamaria a atenção do personagem, e sim uma mulher loira, jovem, com corpo atlético, um sorriso simpático… enfim, a aparência de uma linda atriz.

Provavelmente a maioria dos homens a considerariam no mínimo atraente, mas você já se perguntou o porquê isso é assim?

  • Por que geralmente nos sentimos mais atraídos fisicamente por pessoas que possuem determinadas características do que outras?
  • Por que gostamos mais de um tipo de comida do que outra?
  • Por que achamos alguns comportamos positivos e outros negativos?
  • Por que almejamos ter uma família de determinada forma?
  • Por que temos objetivos de vida de alcançar certo patamar na carreira?

Você já parou para refletir qual era a sua vontade após você ter acabado de nascer? Quando você era só um bebê, com alguns dias de vida, a única vontade que você tinha era de se alimentar. Se você estivesse mamando, tomando o seu leite, estava bem. Você era apenas um ser vivo, indefeso, sem nenhuma opinião, sem nenhuma vontade extravagante, porém plenamente feliz.

Também nesses primeiros dias você funcionava como um gravador que absorvia tudo a sua volta. E, a partir desse momento, começou a ser programado em você tudo o que você deveria ser, saber, fazer, sentir e gostar.

Provavelmente foi programado que você deveria estudar bastante para fazer uma boa faculdade e depois arrumar um bom emprego.

Na verdade, é até um pouco pior do que isso. Foi programado que “fracassar” era a pior coisa que poderia acontecer para você e para sua vida, e que se você não tivesse construído uma boa carreira ou família com certa idade, você seria “fracassado” e envergonharia até a sua própria família.

E assim, para evitar se sentir fracassado, você vai fazendo tudo o que é “correto” e o que as outras pessoas a sua volta estão fazendo.

Ou talvez você não seja assim, talvez você ache que esse modelo padrão da sociedade não está certo, e você busca ser diferente, fazer as coisas do seu jeito, totalmente fora do que é considerado normal.

Ainda assim, você foi “construído” para isso. Foi programado em você que o “certo” é ser diferente, fugir da maioria e, depois sentir que isso faz de você alguém especial. E você simplesmente segue seus programas e completa a sociedade. Ou você acha que, ainda bebê, já tinha vontade de ser diferente?

O porquê você nunca ter tido consciência disso

Como expliquei, desde quando você nasceu, você estava imerso em um mundo que só queria programar você para ser mais um.

Para se conscientizar de algo, é necessário ter pensamentos sobre aquilo. Porém, é impossível ter consciência de algo que você nunca viu ou ouviu falar.

Além disso, como expliquei no artigo sobre o Modelo da Mente, nossa parte consciente só busca criar sentido em tudo o que fazemos ou vivemos.

Assim, a partir do momento que entra uma programação nova na sua mente, a parte racional do seu consciente vai fazer de tudo para mostrar como aquilo faz muito sentido, e como não seguir aquilo não faz sentido algum.

E a parte que você tem para questionar tudo isso, é a mesma parte que convence você que toda ilusão faz muito sentido. Seria similar a um peixe, que nunca viu outra coisa senão água, tentar explicar o que é a água.

Você nunca deixou de usar sua mente consciente, por isso é (muito) difícil questionar as coisas que ela criou.

Como você não sabe o tamanho do impacto 

A primeira consequência disso é ter mais dificuldades para alcançar os seus sonhos.

Você vive em busca de alcançar objetivos fazendo o que você aprendeu e sem acreditar que pode fazer ou alcançar mais rápido. Claro, você nunca foi programado para achar que seria fácil.

Porém, com essa consciência, você sabe que tudo é uma questão do que você aprendeu. Você pode, sim, aprender a fazer de formas diferentes, mais fáceis. Se alguém conseguiu, você sabe que também pode conseguir, basta buscar as programações que essa pessoa teve.

A segunda consequência de viver sem essa consciência é a própria satisfação com a vida.

Por exemplo, se você acredita que o objetivo da sua vida é alcançar um sonho “X” (que sempre aumenta), você sempre vai esperar encontrar a felicidade no fim do caminho. O problema é que o caminho nunca acaba.

A sua mente foi programada para sempre buscar algo a mais, e o que te move é a insatisfação de não ter chegado lá ainda. Em outras palavras, você está programado para ser insatisfeito, a sempre achar que está incompleto.

Agora, por outro lado, se você parar para refletir que tudo o que você quer é um reflexo do que você viveu e de tudo o que te ensinaram, imediatamente cai a ficha de que está tudo bem não ter chegado ao fim.

Quando você pensa assim, você também percebe que tudo o que você sente foi ensinado. Então tudo é uma ilusão da sua mente. E o resultado disso é uma sensação de liberdade, de alegria imediata.

pessoa na prisão

Fonte: Pixabay

O que fazer para sair dessa prisão

Todos os resultados que você tem na vida são consequências de anos de programações instaladas na sua mente. Já são automáticos para você viver dessa forma.

Sendo assim, não é um artigo de blog que vai interromper o funcionamento da sua mente. É impossível você rejeitar o que está em você, até porque é isso que mantém você sendo quem é.

A resposta então é usar sua consciência para entender a si próprio.

Tenha consciência de que tudo o que você gosta, sente e pensa já é influenciado por todas as suas experiências. Portanto, isso não é 100% você.

E como isso é na prática? Simplesmente se questione de tudo o que acontece.

Quando você tem uma opinião sobre algo ou alguém, se pergunte o porquê você está tendo essa opinião. Então aceite que isso não é a real, mas só uma opinião.

Quando você quiser fazer alguma coisa, se pergunte o porquê você está tendo essa vontade. Então aceite que essa vontade não é real, foi ensinada a você.

E repita esse questionamento para tudo na sua vida, incluindo suas emoções. Assim, a cada dia que passar, você estará mais consciente de como você funciona.

Resultado: você vai começar a eliminar pequenos problemas, como ansiedades, medos, culpas, arrependimentos… E, consequentemente, passar a ter uma vida mais plena e muito mais feliz.

Então, termino com o meu convite: experimente querer sair da Matrix!

Se gostou do artigo, compartilhe com seus amigos e familiares. Até breve!

Autor do best-seller Desbloqueie o Poder da Sua Mente, Michael também é empresário, palestrante, hipnoterapeuta e presidente da OMNI Brasil.
Começou seus estudos em hipnose aos 13 anos. A paixão pelo empreendedorismo veio logo depois. Em 2015, trouxe a OMNI para o Brasil, a maior escola de hipnoterapia do mundo, presente em 26 países.
Nos últimos três anos, sob o seu comando, o escritório brasileiro se tornou a maior base da instituição em todo o mundo.Michael é especialista em usar a hipnose no sentido de programar a mente para o sucesso.
Sente-se realizado com a missão de ajudar as pessoas a transformarem suas vidas.
Nas horas vagas, ouve rock e devora livros, especialmente biografias e títulos sobre realização pessoal e negócios.

X