Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Livro de hipnose mais vendido no Brasil

O livro Desbloqueie o Poder da Sua Mente, de Michael Arruda, entrou na lista dos 10 livros mais vendidos no Brasil, pela revista Veja e pelo PublishNews. Como Michael já é um colunista do HypnoPlace, aproveitamos a oportunidade para convidá-lo a contar um pouco dos bastidores desse livro.

Livro de hipnose

Segue na íntegra minha entrevista com ele.

Dhip Nose (D.N.): Para começarmos, fale um pouco sobre você, Michael.

Michael Arruda (M.A.): Sou uma pessoa comum que adora se superar a cada dia, com uma missão de trazer mais felicidade para as pessoas. Todos fazem isso de alguma forma, e a minha é através do conhecimento sobre o potencial da mente e da hipnoterapia. Na verdade, não tenho muito mais do que isso para falar de mim mesmo.

D.N.: O que lhe motivou a escrever um livro sobre hipnoterapia?

M.A.: Eu sempre tive vontade de divulgar para mais pessoas o potencial da hipnoterapia, porque acredito que essa ferramenta pode fazer um bem imensurável para a população. Imagina, cada pessoa que é impactada com isso, não é apenas uma vida que está sendo melhorada, mas também a vida das pessoas envolta dela, pois ela vai tratar o companheiro de forma diferente, os filhos, os amigos… vai produzir mais no trabalho. Tudo melhora. Então a motivação eu sempre tive, o que faltava era o momento da decisão.

E esse momento surgiu quando a própria CEO da editora gente, que já tinha ouvido falar do potencial da hipnoterapia, me convidou para uma conversa, e falou que já tinha passado da hora de espalhar mais essa missão para o mundo. Esse foi o momento que a motivação se uniu com a decisão.

D.N.: Quanto tempo levou entre a decisão de escrever o livro e a publicação?

M.A.: Levou um pouquinho mais de um ano desde que falei “vamos fazer” até o dia do lançamento. Foi até bem rápido na opinião de todos os envolvidos no processo.

D.N.: Como foi o processo da redação do livro? Havia alguma rotina ou ritual?

M.A.: O processo em si foi dividido em várias partes. Desde a reunião de ideias e insights, criação do esqueleto da estrutura, até a escrita em si e alguns ajustes depois (que foi bem mais trabalhoso do que eu imaginava). Mas o processo mais denso foi quando precisei escrever o texto base final de cada capítulo.

Eu chegava na OMNI às 09:00, ficava no máximo 30 minutos para resolver alguma urgência que precisava de mim, depois eu ia para minha sala, colocava uma música motivadora, fazia uma auto-hipnose para me concentrar e ter ideias, depois começava a escrever, e ia até o fim do dia, parando só para comer. Isso durou quase um mês.

D.N.: Quais eram essas músicas, existe uma playlist que montou para ajudar na criação do livro?

M.A.: Nada específico. Eu escolhia no dia algumas músicas dentre as que eu gosto. Mas as mais tocadas eram músicas épicas (aquelas de trilhas sonoras de filmes de heróis ou de guerra). Gosto bastante também de Queen e Coldplay.

D.N.: Qual a sensação ao ver o livro se tornar um best-seller? Você já imaginava?

M.A.: A sensação mais incrível para mim foi quando recebi o meu primeiro exemplar da editora, em uma caixa de presente. Foi o momento que eu vi o trabalho de um ano realmente materializado em um pequeno objeto. Foi emocionante!

Sobre se tornar best-Seller, sendo sincero eu já esperava por dois motivos: primeiro, eu já sabia que a maioria dos livros da Editora Gente vão para a lista dos mais vendidos, pois eles só pegam projetos de livros que realmente acreditam que serão best-seller. Segundo, se eu não acreditasse, quem iria acreditar? E uma das coisas que eu mais falo é sobre como o que você coloca na mente, tende a acontecer.

Então, desde o início já coloquei na minha mente essa ideia, e me acostumei com ela, para que a minha mente trabalhasse para transformar isso em realidade. Por outro lado, a consequência disso é não ser tão surpreendido quando acontece.

livro mais vendido no brasil de hipnose

D.N.: A que você atribui o sucesso do livro?

M.A.: É uma junção de muitas coisas. Além do que falei acima de ter trabalhado bastante o mindset de que o livro seria um sucesso, eu estava rodeado das pessoas certas.

Primeiro, toda a equipe da Editora Gente tinha se conectado bastante com o projeto e acreditava muito na ideia, eles me ajudaram muito na organização e discussão das ideias; à minha própria equipe na OMNI, que divulgaram e plantaram a sementinha do livro, muito antes dele ser lançado; aos Heroes, que é um grupo de terapeutas seletos, mais próximos à mim, que se conectam com a minha missão e me ajudam a divulgar a mensagem.

Então, juntando tudo isso: mindset certo, pessoas corretas e apaixonadas, e uma mensagem que o mundo precisa, o sucesso foi só o resultado do que já fazíamos.

D.N.: Qual parte você considera a mais importante no livro e qual foi a mais difícil de escrever?

M.A.: O objetivo do livro é trazer a autorresponsabilidade para o leitor e causar algum sentimento de mudança, como se ele estivesse passando por uma terapia.  Foi todo construído seguindo essa ideia. Todas as partes se complementam e ajudam a mudar o mindset do leitor, permitindo ele se abrir, para nos capítulos finais ele liberar as emoções, não tem como citar uma mais importante.

Porém, a parte final foi a mais difícil de pensar como fazer. Na terapia causamos um impacto real, de mudança emocional, porque há o terapeuta ali, guiando o cliente em tempo real, não deixando o cliente “fugir” do momento. Então foi um desafio descobrir uma forma de criar algo similar, onde o leitor pudesse fazer sozinho. E foi a gerente editorial que trouxe um insight incrível, que se transformou em solução.

D.N.: Um livro que acompanha um aplicativo é uma ideia bem diferente, como surgiu isso?

M.A.: É uma ideia diferente para temas comuns, mas não para minha área. Eu sabia que todos que lessem o livro, depois que entendessem o que é hipnose, iriam querer sentir realmente como é. Logo, já começamos a pensar em uma forma de ter áudios de bônus para baixarem.

Porém, gosto de inovar e testar coisas diferentes. Como hoje as pessoas estão sempre conectadas ao celular, pensei no aplicativo, assim elas poderiam aproveitar a hipnose em qualquer lugar. E aí o bônus foi além, o aplicativo já ajuda o indivíduo a criar novos hábitos, de uma forma mais gamificada.

D.N: A hipnoterapia é reconhecida pela sua efetividade, mas muita gente ainda desconhece ou tem algum tipo de preconceito. O que você acha disso?

M.A.: Acho isso normal. Tudo o que é desconhecido, quando passa a ser mais divulgado, no primeiro momento causa rejeição e preconceito. Isso é, inclusive, uma forma de proteção da mente subconsciente para nos manter naquilo que ela acredita que é melhor para nós.

Esse foi um dos principais combustíveis para eu me dedicar ao máximo a esse projeto, pois sei que esse livro é mais um passo para trazer essa ferramenta incrível para o conhecimento de todos.

E como falei, este é apenas mais um passo, é importante que todos nós, dessa área, trabalhemos em conjunto, cada um fazendo sua parte para desmistificar o potencial da mente, para que um dia ela seja tão comum a ponto de ser ensinada nas escolas. Esse é o meu sonho!

D.N.: Quais dicas você dá pra quem pretende publicar um livro de sucesso?

M.A.: A questão de ‘publicar um livro’ deve ser consequência de um ímpeto bem forte de passar sua mensagem para o mundo. Então, a primeira coisa é ter claro para si próprio qual é sua paixão, seu legado, e compartilhar isso. Quando você tiver isso, as pessoas a sua volta começarão a falar “você deveria escrever um livro…”, ou “quando você vai escrever um livro?”. Acho que esse é o sinal.

Sobre a segunda parte, de ser um “livro de sucesso”, não serei presunçoso para dar dicas como se eu fosse uma autoridade na área, afinal eu só tenho um livro publicado. Então para essa pergunta eu prefiro dizer que não sei, pergunte ao Roberto Shinyashiki! (risos)

D.N: Quais dicas você dá para quem deseja trabalhar com hipnoterapia?

M.A.: Se não leu ainda, leia o meu livro e entenda de verdade o que é a hipnoterapia e se é realmente isso que te traz paixão. Acho que a primeira coisa é gostar do tema, gostar de ajudar pessoas e gostar de desafiar suas próprias crenças.

Se você gosta dessas coisas e sente que é isso que te traz paixão, eu diria para fazer a formação de hipnoterapeuta OMNI, garanto que lá você se encontrará e se sentirá realizado. E eu, pessoalmente, vou ajudar para que você tenha sucesso e transforme a vida de cada vez mais pessoas.

D.N.: Quais são os planos para a carreira de autor? Novos livros virão?

M.A.: Primeiro vamos deixar essa parte ganhar mais vida, depois vemos os próximos passos. Lembrando que eu não sou autor como profissão, ainda tenho um negócio para gerir e vários projetos para implementar na minha empresa. Então, sem planos por enquanto.

D.N.: Alguma mensagem final para os leitores do HypnoPlace?

M.A.: Tenham a mente aberta, mas não para as coisas externas, isso é muito fácil. Tenham a mente aberta para julgar a si próprio, para questionar as suas próprias crenças e atitudes. Só assim é possível realmente evoluir!

A hipnoterapia é isso, é mudar a mentalidade para uma melhor, mas para isso, o primeiro passo é entender que a sua mentalidade atual não é a melhor possível. Cresça a cada dia! Mude a sua mente, transforme a sua vida!

Então, se gostou da entrevista e ficou interessado no livro, clique aqui! Até a próxima!

Eu sou o D’Hip Nose! Minha missão aqui é te manter informado sobre as novidades do mundo da hipnose.

X