Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



A hipnoterapia pode ser utilizada em crianças?

As crianças quando estão vendo TV, jogando videogames, praticando esportes ou sonhando acordadas estão em um estado de hipnose e entram nesse modo mais de uma vez por dia. Esse estado não é novo para elas, é mais do que natural em seu dia a dia.

O público infantil geralmente tem menos preconceitos ou medos em relação à hipnose do que os adultos e possuem uma alta habilidade de imaginação. Para passar por uma sessão de hipnoterapia a idade mínima é de 4 anos de idade.

Em hipnose, pedimos para que as crianças fiquem com os olhos fechados, mas elas não dormem, nem ficam presas na hipnose. Continuam donas dos seus próprios corpos e pensamentos durante a sessão. E o hipnoterapeuta não tem o poder sobre a criança, ele apenas serve como um guia, instruindo-a na direção correta.

Hipnoterapia pode ser utilizada em crianças?

Áreas de aplicação para crianças

A hipnose para crianças tem inúmeros benefícios, e abaixo seguem as áreas de aplicação:

Agressividade, alergias, ansiedade, asma, baixa autoestima, bruxismo, bullying, chupar o dedo, controle de dor, dificuldade de relacionamentos, distúrbio de sono, enurese, estresse, gagueira, hábitos de roer ou coçar, hiperatividade, medo de dentista, medos e fobias, melhorias na concentração, performance, hábitos de estudo, obesidade, pesadelos, reclusão, superar traumas, timidez, tiques nervosos.

Fatores importantes de compreender antes da sessão

No atendimento de hipnoterapia para adultos, geralmente são eles que procuram o tratamento, sabem o que querem tratar, pois aquilo traz incômodo, sofrimento, e agendam sua sessão.

Com crianças, dependendo da idade e do problema, o sofrimento pode estar presente, mas a motivação para a mudança não. Portanto, é necessário que haja cooperação e colaboração, tanto dos pais quanto da criança.

Por mais que os pais ou avós da criança queiram o tratamento, se a criança não tiver motivação necessária e queira a própria transformação, pouco ou nenhum resultado será alcançado.

Na maioria dos casos, os pais sofrem mais do que a criança, exemplo: a criança todas as noites, faz xixi na cama. Neste exemplo, pode ser que isso não represente um problema para a criança e ela não queira fazer uma terapia para tratar isso.

Não podemos forçar a criança a fazer nada que não queira, mas podemos fazer com que ela compreenda que fazer todos os dias xixi na cama deixa a cama molhada, faz com que a mãe precise trocar todos os dias o lençol, ou caso ela vá dormir na casa de uma amiguinha, isso cause um bloqueio, fazendo com que ela deixe de ir na casa da amiga, pois essa situação seja desagradável para ela, já que não consegue ter controle sobre isso.

Então, em muitas situações é necessário ajudar a criança a compreender a dificuldade que precisa ser tratada e dar a ela motivação para querer mudar.

A sessão de hipnoterapia é uma parceria. O hipnoterapeuta trabalhará junto com a criança, instruindo em como ela pode contribuir na resolução dos próprios problemas.

É importante compreender que existem ganhos secundários e/ou benefícios que a criança possui tendo certo tipo de comportamento, exemplo: os pais desejam tratar a agressividade excessiva de seu filho, porém, ao ficar mais agressivo, a mãe para tudo o que estiver fazendo, conversa, brinca e dá atenção para ele.

Nesse caso, o filho percebe consciente ou não que ele tem um benefício, se ficar agressivo, sua mãe brincará com ele, então se nesse caso a criança sabe que se ele não tiver esse comportamento, não terá a atenção da mãe. Tratar a agressividade não será importante para ele, por que o ganho que tem com essa atitude é maior do que tratar esse comportamento.

Logo, se o ganho secundário for maior do que mudar o comportamento, a sessão está fadada ao fracasso.

Efeitos colaterais:

Em algumas situações podem ocorrer pioras iniciais antes da melhora. Variações de humor podem ocorrer, mas persistem apenas em poucos dias.

Hipnoterapia pode ser utilizada em crianças?

Importância dos pais antes, durante e depois da sessão

Para quem tem filhos, é importante ficar atento com o que se fala para as crianças, em mudanças repentinas de comportamento, a forma como reagimos a uma nota ruim, a uma birra, a uma situação comum do nosso dia a dia. Isso irá influenciar e refletir no comportamento da criança e consequentemente em sua autoestima, crenças, medos e traumas.

Já parou para refletir que temos comportamentos parecidos com os das pessoas que nos criaram? E mesmo sem concordar com tais atitudes, repetimos esse padrão de pensamento e/ou comportamento com nossos filhos?

Se o seu filho tem o hábito de estudar somente na véspera da prova e tira uma nota ruim, antes de criticá-lo é importante observar o seu comportamento. Será que você também têm o hábito de deixar as coisas para fazer na última hora? Será que foi passado para a criança que é necessário se planejar e estudar antes?

As crianças estão atentas e prestam atenção em tudo e consciente ou não, replicam e seguem o exemplo dos pais. Por isso, antes de reprimir a atitude e jeito de falar dos seus filhos, analise o seu próprio comportamento.

Por isso, é fundamental fazer uma reflexão. Se você só critica o seu filho, fala para as pessoas que seu filho não é inteligente, é esse o pensamento que ele vai ter e acreditar ser.

Sem dúvida, os pais ou as pessoas que criam a criança exercem um papel muito importante e podem influenciar no sucesso do tratamento através da hipnose. Por exemplo: se a criança apresenta dificuldades na escola e os pais não têm paciência e ainda falam que a criança é burra, ao invés de ajudar, estão prejudicando mais o desenvolvimento e autoestima da criança.

Se os pais apoiam o seu filho depois da sessão e os ajudam com a lição de casa, reconhecem o seu esforço, mudam sua atitude, os resultados podem ser atingidos com mais rapidez. Se, porém, os pais continuam com a programação negativa depois da sessão, a probabilidade da criança voltar ao seu antigo comportamento inicial é grande.É importante também que os pais não discutam na frente da criança antes da sessão.

É vantajoso se ambos concordam com a sessão de hipnoterapia. Se o apoio vem de apenas um dos pais, o sucesso pode ser colocado em risco quando a criança chegar em casa. Se todos trabalharem juntos, o sucesso é provável.

Hipnoterapia pode ser utilizada em crianças?

Vantagens de fazer a hipnoterapia enquanto criança

É muito comum identificarmos em sessões de hipnoterapia com adultos que a procura para o tratamento tem como ponto de partida algo que aconteceu na infância. Assim que essas raízes são puxadas e dessensibilizadas, não afetam mais a qualidade de vida do adulto.

Logo, se tratarmos essas raízes ainda na fase da infância, essa criança crescerá sem esses bloqueios que a travariam ou criariam alguma resistência em sua fase adulta.

Isso não significa que a criança não terá nenhum problema ou nunca mais precise tratar algo em sua vida adulta, mas com certeza crescerá mais confiante e livre desses bloqueios gerados na infância.

A hipnose só traz benefícios e fará com que as crianças se tornem ainda mais livres e melhores do que são.

Se você tem filhos ou conhece crianças que podem ser beneficiadas com essa informação, compartilhe esse artigo e ajude outras famílias.

Hipnoterapeuta pela OMNI Hypnosis Training Center.  Membro da National Guild of Hypnotists – NGH, especialista em Hipnose para Crianças – HypnoKids. Como hipnoterapeuta vem atuando com adultos e crianças, ajudando-os a melhorarem sua autoestima, serem mais confiantes e a despertarem o potencial que há dentro de cada um, de forma rápida e duradoura.

X