Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



A hipnoterapia como tratamento de fobias

Pode ser que você tenha medo de alguma coisa, como medo de escuro, de aranha, de barata…

Mas quando esse sentimento passa da normalidade, atrapalhando a sua vida e causando sofrimento, ele é chamado de fobia.

Existem muitas pessoas com algum tipo de fobia, ou seja, um medo desproporcional à realidade. Conscientemente essa pessoa sabe que a fobia é um medo irracional, mas esse medo paralisa, e paralisa algumas áreas da sua vida.

Por exemplo, uma pessoa que tem uma fobia social, um medo tão intenso de determinadas situações, pessoas e lugares, acaba atrapalhando a sua área de relacionamento pessoal e profissional, e impede que ela execute algumas ações cotidianas, como não conseguir se locomover até o trabalho, não conseguir subir de elevador… Impedindo a pessoa de manter a sua rotina. E, automaticamente, ela vai deixando de fazer muitas coisas e vai mudando hábitos em função desse desconforto.

O indivíduo fica em um nível de stress tão alto que antes de ir a algum lugar, pensa que não vai conseguir ir e ficar tranquilo, pensa se vai ficar confortável ou não naquele ambiente, por que se ele não ficar confortável em um lugar, ele prefere não ir.

Pessoas com fobia quando expostas ao objeto causador, apresentam uma série de sintomas físicos, como falta de ar, taquicardia, tremedeira e ataques de pânico.

Felizmente, a fobia pode ser tratada. Mas para compreender como funciona esse tratamento com hipnose, primeiramente é necessário compreender como funciona a nossa mente consciente e a mente subconsciente.

A hipnoterapia como tratamento de fobias

Mente consciente e mente subconsciente de Jerry Kein

Dentro do modelo da mente proposto por Gerald F. Kein, temos, na verdade, três mentes distintas e separadas (mente consciente, subconsciente e inconsciente). Elas apresentam funções diferentes, e vou explicar brevemente sobre a mente consciente e a mente subconsciente.

A mente consciente é onde passamos a maior parte do tempo. E ela tem quatro funções: a memória funcional, a parte analítica, a força de vontade e o raciocínio.

Partimos do pressuposto que, se uma pessoa não nasceu sentindo esse medo exagerado, isso teve um início, uma causa. Ou seja, a fobia está associada a uma memória interna. E isso pode ser tratada acessando a mente subconsciente.

Agora, onde vive o ‘real você’ é na mente subconsciente. A mente subconsciente tem cinco características: memórias de longo prazo, emoções, hábitos, autopreservação e ociosidade.

Através de um relaxamento induzido, onde a pessoa segue as instruções do hipnoterapeuta, conseguimos acessar a mente subconsciente do cliente. Grande parte das fobias são formadas por eventos do passado, muitas vezes ocorridos na infância, dos quais grande parte nem lembramos.

Utilizando a hipnose, quando atuamos direto na causa do problema, resgatamos as informações que estão gravadas no subconsciente da pessoa, pois é no subconsciente onde ficam armazenadas todas as nossas memórias de longo prazo.

Com o cliente em hipnose, eu peço para ele trazer a emoção que está associada ao sintoma que vem sentindo (fobia). E quando a mente subconsciente traz essa emoção, eu peço para o indivíduo voltar à primeira vez que a mente dele conheceu essa emoção (o evento causador da fobia).

E a partir disso, o hipnoterapeuta ajuda o cliente a confrontar esse evento, para que aquela fobia possa ser tratada com eficácia e o indivíduo recupere sua qualidade de vida.

A hipnoterapia como tratamento de fobias

Fobia social

Vou dar o exemplo de uma cliente com fobia social, que ao voltar para a primeira vez que ela sentiu a emoção negativa, quando a mesma ficou “presa” no banheiro e era apenas uma criança, e permaneceu trancada até sua mãe ouvir seus gritos. E, quando mais velha, mas ainda criança, ela ficou presa no elevador de seu apartamento, sentindo muito medo.

Essa repetição de acontecimentos assustadores (para a maioria das pessoas) e essa sensação ocorrendo várias vezes, acabaram reforçando o medo já vivenciado.

Então essa criança cresceu com medo de lugares fechados, e mesmo adulta e consciente de que o elevador não era um perigo, continuava evitando-os, e assim, tentava lidar com aquela situação falando para si mesma que na próxima vez que fosse ver um elevador iria respirar fundo e tentar agir naturalmente.

Porém, aquilo não era suficiente, porque tinha uma emoção ruim armazenada e associada a esse tipo de situação que estava no seu subconsciente, por mais que ela tentasse e se esforçasse para encarar um elevador, ela não conseguia e utilizava as escadas. Aquela situação representava uma ameaça para o seu subconsciente e ela não conseguia se controlar.

A nossa mente aprende com as experiências, e pelas quais já passou quando criança. A mente da minha cliente gravou aquela informação e compreendeu que lugares fechados eram perigosos e elevador era uma ameaça, então a mente queria apenas protegê-la, porque a nossa mente subconsciente não sabe a diferença entre um perigo real e um perigo imaginário.

Para essa cliente, situações como entrar em um elevador, fechar a porta de um banheiro e permanecer em lugares fechados desencadeavam aquela memória que estava guardada em seu arquivo subconsciente e acabava despertando uma série de reações comportamentais, físicas e emocionais.

Depois da sessão de hipnoterapia, ela ainda estava apreensiva ao utilizar o elevador, pois conscientemente, entrar em um elevador representou perigo por longos anos de sua vida, e aquilo era uma situação que evitava sempre, mas a partir da nova programação trabalhada na sessão, ela passou a se sentir segura o suficiente para entrar e descer sozinha do elevador.

E com o decorrer do tempo, conforme ela passou por situações como entrar em um elevador e permanecer em lugares fechados, isso foi reforçando positivamente a sua nova programação.

Normalmente, os resultados alcançados com a hipnoterapia são mais efetivos e rápidos que com outros métodos convencionais. Isso acontece porque a hipnose clínica alcança a mente subconsciente do indivíduo e trata a fobia direto em sua origem.

A hipnoterapia como tratamento de fobias

Fatores importantes para compreender sobre a sessão

É importante compreender que, para a sessão funcionar é preciso comprometimento do cliente. O hipnoterapeuta não faz milagre, pelo contrário, a sessão de hipnoterapia é um trabalho de cooperação.

Se você conhece alguém ou tem uma fobia, é importante compreender que a fobia não é o indivíduo, não faz parte do seu natural, a fobia está presente na vida dele atrapalhando a sua evolução. Mas lembre-se, esse medo exagerado pode ser passageiro e a solução pode ser buscar ajuda com um profissional especializado, como um hipnoterapeuta.

Se gostou desse texto, compartilhe com seus amigos! Até o próximo artigo!

Hipnoterapeuta pela OMNI Hypnosis Training Center.  Membro da National Guild of Hypnotists – NGH, especialista em Hipnose para Crianças – HypnoKids. Como hipnoterapeuta vem atuando com adultos e crianças, ajudando-os a melhorarem sua autoestima, serem mais confiantes e a despertarem o potencial que há dentro de cada um, de forma rápida e duradoura.

X