Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Hipnose e televisão: o que possuem em comum?

Você deve estar se perguntando o que a televisão pode ter a ver com hipnose, não é?! Mesmo que você já tenha alguma vaga ideia, recomendo que leia este artigo até o final.

Hoje, a televisão é um aparelho eletrônico que se tornou parte da casa, quase um membro da família. É comum chegar em casa depois de um dia de trabalho, abrir a porta e em seguida ligar a tv. Ou seja, cumprimentamos primeiro a tv e deixamos até a família de lado.

Quantas vezes você estava tentando falar com alguém e essa pessoa te disse “espera”, porque estava concentrada no que estava passando na tv e não podia te dar atenção? Afinal, você podia esperar, mas o que estava sendo veiculado no aparelho iria passar e não voltaria mais. É tudo tão acelerado e fugaz… É o controle da realidade e da sua mente a todo momento e você nem se dá conta disso.

Entenda, então, o que uma coisa tem a ver com a outra e como isso afeta sua vida.

homem assistindo televisão

Fonte: PxHere.com

Hipnose e televisão

Para entender qual a aproximação entre hipnose e televisão, primeiramente vou te explicar brevemente do que se trata a hipnose.

Hipnose é um processo de rebaixamento do fator crítico para introdução de uma informação na mente subconsciente, realizado através de um estado de foco e concentração. Explico melhor: temos duas mentes, a mente consciente e a mente subconsciente. A mente consciente é responsável por armazenar memórias de curto prazo, como, por exemplo, uma lista de compras do supermercado que você vai fazer hoje; e a mente subconsciente pelas memórias de longo prazo, como, por exemplo, eventos no decorrer da vida de uma pessoa, que geram crenças negativas e limitantes.

Para introduzir uma mensagem no subconsciente é necessário o estado de foco e concentração e rebaixar o fator crítico. O fator crítico é uma espécie de “peneira”, situado entre as duas mentes, que dificulta a passagem dessas informações da mente consciente pra mente subconsciente. Feito isso, logo é instalada uma nova informação nessa mente, que é responsável por armazenar e reproduzir de alguma forma aquilo que lhe foi implantado.

Agora que você entendeu o que é hipnose, percebeu que existe uma semelhança entre as duas coisas? E que faz a televisão ser uma verdadeira hipnose?

Constantemente, após uma sessão de hipnoterapia, meus clientes dizem que se pudessem não sairiam do transe, que gostariam que aquela sessão de hipnose nunca acabasse. E quando eu ensino a auto-hipnose para os adolescentes e eles fazem uso frequente, experimentam um poder viciante de algo que os faz relaxar e ser capaz de “fugir do mundo”, se sentir muito bem física e mentalmente.

Eu mesma não consigo mais ficar sem fazer auto-hipnose todos os dias, é natural e rotineiro. Isso tudo a auto-hipnose pode realizar a favor da pessoa, priorizando a saúde e o bom desenvolvimento. Dessa forma, eu comparo com o poder da televisão, que realiza a mesma coisa, porém com objetivos e interesses muito específicos, muitas vezes nada saudável.

Exposição excessiva à televisão e sua relação com a hipnose

Perceba que quando está assistindo um programa que gosta, você relaxa, os seus problemas somem completamente e você não precisa enfrentá-los. Até os mínimos pensamentos que ocorrem naturalmente durante o dia, simplesmente não aparecem porque sua mente está congelada, incapaz de refletir. Porém, apesar da mente não estar produzindo pensamento, ela está em atividade e absorvendo o que lhe é oferecido. A tendência de quem está assistindo televisão é não questionar, mas receber a informação e acatar. E é aí que está o perigo.

Sabe aquele seu filho adolescente, que quando está assistindo o programa favorito, nem percebe sua existência quando você passa na frente dele, pois está com os olhos vidrados e até babando? Pois é, perigoso, não é mesmo?

A televisão deixa as pessoas estáticas, elas perdem a noção do tempo e do mundo. Por outro lado, parece terapêutico, pois, esquecem até das dores e angústias, e isso acontece exatamente porque estão sendo hipnotizadas. Durante o estado de hipnose, muitas pessoas se sentem amortecidas, leves, absorvidas em um estado de paz e descanso. Mera coincidência com o que acontece durante aquele filme num domingo à noite? Claro que não.

Uma vez atingido esse estado, a informação apresentada é facilmente absorvida. É assim que a mídia consegue manipular a população em massa, de maneira fácil e barata. Um exemplo para isso é a eleição para presidente no país. Cada reportagem que você assistiu serviu para reforçar a favor ou contra os presidenciáveis. E se você não tinha uma opinião antes, sobre em quem votar até o fim das eleições, provavelmente a televisão te ajudou nisso, afinal, ela é um meio simples e rápido de obter uma informação, embora você nem tenha certeza da sua veracidade.

Outro exemplo simples de hipnose é através da propaganda. Quem nunca viu aquela propaganda daquele alimento super bem apresentado que faz até a pessoa salivar? Aliás, só de você lembrar, você já saliva. São recursos emocionais muito bem estudados para atingir seu subconsciente e gerar um desejo.

No caso de crianças, o problema é ainda mais profundo. Crianças pequenas ainda não possuem a capacidade de distinguir o real do virtual e elas possuem o fator crítico, a “peneira”, muito menos eficiente, se tornando muito mais fáceis de manipulação. Provavelmente você conhece uma criança que ficou persistentemente perturbando os pais pedindo um brinquedo que viu na televisão. Para ela, aquela necessidade se torna vital, como se fosse um alimento ou um remédio necessário para sua existência. E a culpa não é dela, mas da exposição não controlada pelos pais dos programas e programações.

Outro problema bastante relevante é o hiper-realismo: a ilusão às vezes parece mais bela que a realidade, e quando a criança volta pra realidade, nada é tão bonito, agradável e colorido, e nada chama tanta atenção. Ela não consegue se adaptar e passa a ter dificuldade de se relacionar com esse mundo, ou seja, o mundo real não é mais suficiente e ela não sabe lidar com ele.

família assistindo televisão com controle remoto em destaque

Fonte: rawpixel / Unsplash.com

Que conduta tomar diante da televisão?

Diante disso, recomendo que você passe a analisar o quanto a televisão faz parte da sua vida e rotina. Algo que parece inofensivo e confortante, na verdade, pode ser grande vilão na sua vida e de sua família. Critique sempre as informações que recebe, busque outras fontes e investigue. Caso você seja amante de filmes e séries, recomendo que evite temas como violência. E sobre outros tipos de filmes, analise se a mensagem final, que eles irão te proporcionar, será construtiva para sua vida.

Jamais durma ou permita que seu filho (criança ou adolescente) durma com a televisão ligada. Caso você tenha o vício de dormir com um barulho ao fundo, eu recomendo que você instale no seu celular o aplicativo Plenamente. Este aplicativo dispõe de áudios de auto-hipnose, que podem te auxiliar durante o sono, proporcionando o relaxamento que você deseja. E dessa forma você não estará sendo manipulado.

De maneira geral, analise se o tempo que você tem gasto com televisão tem te proporcionado muito mais retorno pessoal do que o tempo dedicado à família, estudos, amigos e a um verdadeiro descanso.

Se gostou do artigo, compartilhe com seus amigos e familiares. Nos vemos em breve!

Um ano de 2019 incrível, cheio de amor e sucesso para você! <3

Graduada em Nutrição e Pedagogia pela UFMS. Hipnoterapeuta OMNI, com formação em hipnoterapia infantojuvenil através do HypnoKids (da mesma instituição). É especialista em depressão em adolescentes e no momento atua exclusivamente como hipnoterapeuta, em Campo Grande – MS.

X