Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Empoderamento feminino através da hipnose

O tema empoderamento feminino tem sido muito falado nos últimos tempos, mas muitas vezes ele traz uma interpretação errada, como algo individualista ou tomada de poder. Então, do que se trata?

O que é empoderamento feminino

Empoderamento feminino é a consciência coletiva expressada por ações, para fortalecer as mulheres e desenvolver a equidade de gênero. Empoderar-se é o fato de tomar o poder sobre si, ou seja, colocar as mulheres como sujeitos ativos de mudança.

Logo, essa luta não é a causa de uma indivídua, de forma isolada, tem por o objetivo alcançar uma sociedade mais justa para as mulheres.

Uma mulher empoderada tem confiança interna para conquistar seu próprio espaço, sem se sentir culpada ou diminuída por fazer escolhas que atendam aquilo que é realmente importante para ela. É ter a coragem de ser exatamente quem é, pensar com a própria cabeça, fazer as próprias escolhas e impor respeito, sem se sentir condenada ou julgada por isso.

Pensando nessa perspectiva, vem a dúvida: isso não deveria ser algo simples, e fazer parte da nossa rotina? E é exatamente sobre isso que venho tratar, porque as mulheres têm tantas dificuldades de lutarem por seu espaço e como a hipnose pode ajudar nisso.

Empoderamento feminino é o oposto de vitimismo

Uma coisa precisa ficar clara nesse momento, agora que você entende o que é empoderamento feminino, percebe que isso é o oposto de vitimismo, ou seja, não tem nada a ver dizer que não conseguiu aquele cargo por ser uma mulher e reclamar disso, ou culpar outras pessoas por te tratarem com preconceito por ser mulher.

Estamos falando justamente o contrário, empoderar-se é assumir o controle da sua vida, sendo a única responsável por ela. Sem julgar o comportamento do outro, sem reclamar da falta de oportunidade, mas construir seu caminho, com coragem e de cabeça erguida independente das adversidades.

Por que as mulheres têm dificuldade de assumir o controle de suas vidas

Agora que já está claro sobre não se colocar na posição de vítima, podemos entender porque é tão difícil para uma mulher se tornar a protagonista da própria vida.

Isso pode ser explicado pelo modelo da mente de Gerald Kein, nele fica muito claro que tudo o que somos é reflexo de nossa programação, e essa programação é formada através de situações que vivemos, coisas que ouvimos  e vimos na infância. A base da nossa programação é formada antes dos 12 anos, é possível alterar isso mas exige um grande trabalho.

Pensando por esse lado, já explica muitas coisas.

Voltando lá na infância, lembra daquelas frases: “Nossa! Você corre como uma menininha”, “Você cai à toa, parece uma menininha”, e muitas outras que sugerem como as meninas são fraquinhas e incapazes. E aqueles brinquedos legais como os carrinhos, bonecos de super-heróis, discos voadores, vídeo games e muitos outros, são brinquedos de menino.

Mas pra menina tem o que para brincar? Muitas coisas, bonecas cheias de sapatos e roupinhas, panelinhas, carrinho de bebê, e, no máximo, os joguinhos da Barbie ou Disney que, convenhamos, não são nada desafiadores.

Já parou para analisar como os brinquedos de meninos incentivam muito mais o desenvolvimento intelectual? A maioria dos brinquedos de meninos tem uma meta a ser batida ou um desafio a ser cumprido. São corridas, jogos de raciocínio, objetos para montar… tudo está envolvido com desafios envolvidos, muito diferente dos brinquedos das meninas.

E sobre os filmes? Os de meninos envolviam ficção científica, aventura, corrida, já os das meninas eram filmes de uma donzela que sofria e foi resgatada pelo príncipe encantado e então viveram felizes para sempre. E podemos perceber as várias diferenças em todas as situações cotidianas: “Sente-se direito, menina”, “Que coisa feia ficar correndo por aí, você é uma mocinha precisa se comportar!”, “Que palavra feia! Menina não pode falar isso”.

Mas o pior de tudo era vivenciar a forma como as mulheres adultas eram tratadas, proibidas de trabalhar fora de casa, com menos possibilidades de estudar e se graduar, mulheres que cuidavam incansavelmente de suas casas e famílias, e eram maltratadas por seus maridos. As poucas mulheres que conseguiam trabalhar fora de casa tinham posições de trabalho bem inferiores aos homens, muitas vezes trabalhos que exigiam muito e que eram mal remunerados.

É uma realidade triste, mas que justifica as programações das mulheres de hoje, que desde que nasceram aprenderam com suas experiências qual era a posição da mulher, e assim ficaram programadas.

Mas perceba, isso vem melhorando a cada geração, é um processo longo e árduo, hoje já temos mais meninas jogando vídeo game, ou até brincando de montar; como temos mais mulheres bem valorizadas no mercado de trabalho. Mas sempre vai ter aquela tia que vai chegar com o jogo de panelinhas e dizer para a pequena que precisa fazer o “papá”.

E não é por mal, a tia aprendeu que essa era uma brincadeira divertida, ela adorava brincar assim, porque ela aprendeu assim. O que quero dizer com isso é: o ponto não é julgar as brincadeiras, ou dizer que uma criança não deve brincar de certas coisas, mas nos ajudar a perceber como as programações são implantadas e como são necessárias tantas gerações para que algumas coisas comecem a mudar.

Eu acredito que esse senso de cuidado com a família, o senso maternal, é algo que instintivamente faz parte da mulher, e não tem mal nenhum nisso, muito pelo contrário, é uma super habilidade que também pode ser muito bem aproveitada no mercado de trabalho; para desenvolver novas ideias, para fortalecer equipes, cuidar de detalhes fazendo a diferença, gerindo e resolvendo conflitos.

São inúmeras habilidades que as mulheres têm para contribuir com o mundo, mas elas precisam aprender a olhar para fora, a se colocarem na posição ativa de mudança, elas precisam ser incentivadas a alcançar grandes metas e essa educação tem que começar da infância.

Quero dizer que não tem nada de errado a mulher desejar ser mãe, desejar cuidar da família, isso faz parte do instinto dela, o que tem de errado é ela ser obrigada a se limitar às crenças da sociedade, a mulher tem muito a contribuir com o universo, e ela precisa aprender a conquistar seu espaço.

Reflita sobre você

Estou comentando sobre esses pontos para que você possa perceber quantas influências teve na sua vida, provavelmente você foi programada a acreditar que é menor, menos importante. Talvez você, leitora, já tenha iniciado o processo de empoderamento, e se está lendo este artigo é bem provável que sim. Mas será que já chegou ao seu máximo, será que já se livrou de toda essa carga?

Nesse momento quero que você pense nos seus principais objetivos de vida e o que tem feito para alcançá-los; nessa reflexão perceba em que patamar está, em cada um desses objetivos, as perguntas que tenho são: Você está satisfeita e acha que está fazendo o seu melhor?  Você poderia ter ido mais longe do que foi até agora?

Conhecendo sua história, identifique se há características suas que estão te travando, bloqueando, impedindo você de ser uma mulher completamente empoderada, dona de suas escolhas, responsável pela sua vida. Alguma vez já travou por causa de alguém? Alguma vez ficou esperando a atitude de alguém para conquistar algo? Já se colocou na posição de vítima? Já se sentiu incapaz de realizar algo?

Não tenha vergonha de assumir isso, reflita e perceba quais as programações que te impedem de ser a melhor versão de você mesma, identifique e assuma as fraquezas, esses são os primeiros passos para o desenvolvimento pessoal.

Como a hipnose pode ajudar 

A hipnose é uma ferramenta excelente para mudar programações e te dar oportunidades de ser uma mulher dona de si. 

Há 3 principais formas de ajuda através da hipnose: 

Primeira – Hipnoterapia: A hipnoterapia é uma ferramenta fantástica, o hipnoterapeuta pode te guiar ao acesso direto ao subconsciente e buscar por essas emoções que te impedem de ser uma mulher forte, decidida, dona da própria história.

Através da hipnoterapia você consegue acessar pontos da sua história lá na infância, quando sua programação estava sendo formada e reviver eventos que te trouxeram essa emoção que te atrapalha até os dias de hoje. Nesse processo, o hipnoterapeuta pode ressignificar esses eventos, dando a eles um novo ponto de vista, ensinando a menina do passado que ela é muito maior do que dizem.

Esse é um recurso incrível, quando executada por um bom profissional, pode trazer resultados significantes muitas vezes em apenas uma sessão. É um processo totalmente natural e interno, que utiliza do próprio organismo para fazer mudanças da forma mais eficiente possível.

Segunda – Auto-hipnose: Se você conseguiu identificar pontos que precisa desbloquear ou melhorar durante a reflexão que fizemos, a auto-hipnose pode agir diretamente nesses pontos. É uma ferramenta para se dar sugestões diretas, é bem parecido com algo que você já deve ter ouvido falar, a mentalização positiva.

Isso acontece porque umas das regras da mente é: o que a mente espera que aconteça tende a acontecer. Mas com a auto-hipnose você pode potencializar essa autossugestão, é como se implantasse uma nova sugestão positiva na sua mente, de forma muito rápida e forte.

Existe na internet alguns áudios que instalam gatilhos para auto-hipnose ou que te colocam nesse estado, há também cursos de auto-hipnose sendo vendidos. O que você pode fazer também é buscar um hipnoterapeuta para resolver o maior dos problemas que te trava ou te atrapalha de ser uma mulher empoderada, e pedir ao profissional que instale o gatilho de auto-hipnose e te ensine a usá-lo. É uma ferramenta muito simples e muito útil e você pode usar para tudo.

Uma dica é começar pelos pontos que observou na reflexão, por exemplo, se você percebe que ainda é muito insegura e se não fosse poderia estar mais longe, basta se dar a seguinte sugestão: “Sou uma mulher segura e confiante!” Use essa sugestão em auto-hipnose, você se sentirá muito melhor, te garanto! 

Terceira – Hipnose em grupo: Se você quer ir além e gostaria de ajudar outras mulheres a alcançarem esse estado de empoderamento feminino, e participa de algum grupo de mulheres ou tem vontade de participar… Uma ferramenta que pode te ajudar muito nessa missão é fazer hipnose em grupo.

Você pode colocar todo o seu grupo de mulheres, que estão dispostas a vestirem suas melhores versões, em um processo de hipnose grupal e dar a elas várias sugestões positivas, que as ajudarão no empoderamento.

A hipnose em grupo é uma ferramenta muito poderosa e dá para ser trabalhada de diversas formas, contribuindo muito para o grupo. Mas para ter aptidão de usar essa ferramenta na máxima potência, você precisa de um excelente treinamento de hipnoterapia, pois você tem que entender a fundo todo o potencial do processo, todas as maneiras aplicar.

Prepare-se! Com a sessão no grupo, pode acontecer de algumas componentes se sentirem mal por encontrar algo negativo e não conseguirem ressignificar sozinhas, por isso é importante que você tenha uma boa formação para saber lidar com essa situação e ajudar a reverter esse quadro ao extremo oposto, libertando esse sentimento.

Como resolver esse problema definitivamente

Como falei por todo artigo, a falta de empoderamento feminino é um problema social que precisa de gerações para ser modificado, pois sempre a criança vai aprender parte da programação da geração anterior. 

Tenho duas boas notícias, a primeira é que estamos no caminho da mudança, e a segunda é que a hipnose pode acelerar muito esse processo; se você consegue mudar muitas de suas programações, seus descendentes poderão absorver crenças mais positivas.

Se você pode ajudar mais mulheres a alcançar isso, os descendentes delas também terão uma nova oportunidade e assim podemos acelerar o processo.

Hoje, felizmente, cada vez mais as mulheres estão se unindo com esse objetivo e isso nos dá a esperança de um futuro com maior igualdade de gênero, e com mulheres livres!! 

Então, o que acha disso? Quer ser responsável pela mudança? Comece por você e atinja mais mulheres, tenho certeza que dessa forma alcançaremos nosso objetivo!

 

Engenheira, empresária e COO da OMNI Brasil, coaching e hipnoterapeuta OMNI.Tem um grande foco em ajudar jovens em desenvolvimento pessoal, principalmente voltado para área de descoberta profissional. E tem por objetivo ajudar na formação de milhares de hipnoterapeutas pelo Brasil e quem sabe do mundo, para que dessa forma cada vez mais pessoas possam ser ajudadas através dessa ferramenta incrível que é a hipnoterapia.

X