Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Como a mente funciona: A hipnose esclarece

Nossa mente é subjetiva e complexa. Não é possível ser dissecada, portanto temos que tentar entendê-la através das nossas experiências do dia a dia. Até hoje, a melhor forma que achei para explicar como a mente funciona foi através do modelo do meu mentor Gerald Kein, o modelo da mente.

Para explicar este conceito, vamos dividir a mente em três partes:

1. Inconsciente
2. Consciente
3. Subconsciente

cérebro-roxo

Mente Inconsciente

A mente inconsciente está relacionada ao nosso cérebro mais primitivo, o reptiliano, cuja função é garantir a sobrevivência.

Assim, as funções do inconsciente são: Controlar nosso sistema imunológico (o que garante nossa saúde), o sistema nervoso autônomo (batimento cardíaco, digestão, respiração, temperatura, etc) e o nosso instinto de sobrevivência (a reação de lutar ou fugir).

Para exemplificar uma das ações do nosso inconsciente, imagine que você está atravessando a rua e de repente, escuta um barulho de pneu derrapando somado ao som de uma buzina. Não há tempo de pararmos para pensar: “Nossa, esse som no meio da rua é um sinal de perigo, posso ser atropelado, é melhor eu correr!”

Pelo contrário, não passa nada na nossa cabeça, apenas sentimos a adrenalina nas nossas veias e as pernas em movimento rápido para fugir do perigo. É nosso inconsciente cuidando da nossa sobrevivência.

Enquanto o cérebro reptiliano cuida do nosso ser biológico, a nossa mente consciente cuida das funções mais complexas que já existiu na evolução.

Vamos entender melhor ?

Mente Consciente

Aqui está nosso pensamento consciente. Esta parte é apenas 5% de quem somos. Nossa consciência está relacionada com o córtex pré-frontal do cérebro, que também tem suas respectivas atribuições.

Memória de curto prazo

Equivalente à memória RAM de um computador, é um tipo de memória que guarda e acessa as informações de forma rápida, sem precisar ficar procurando nos arquivos de memória de longo prazo, como veremos no subconsciente.

Também chamada de memória funcional, serve para guardamos aquelas informações que usamos no dia a dia. O nome de pessoas que estamos conversando, o número de telefone de alguém, nosso endereço ou mesmo a história de um filme.

Tudo o que você acabou de ver e ouvir precisa ser guardado por algum tempo, para servir de base para processar as informações em sequência. Você está utilizando essa memória agora para poder compreender este texto. É assim que conseguimos entender o sentido de uma frase, parágrafo ou mensagem.

Outro exemplo: Imagine que você está vendo um filme de 2 horas, e nos 10 minutos finais do filme, você já não lembrasse nada do que aconteceu na primeira hora do filme… Perderia o sentido, não é verdade?

Parte analítica

A próxima função é aquela parte que pensa, analisa e faz escolhas. Porém, não apenas as escolhas que refletimos, mas também as escolhas automáticas.

Sim, a todo momento estamos fazendo escolhas. Escolhemos continuar lendo ou parar de ler alguma coisa, o que comer no café da manhã, o momento que vamos pegar o celular…

São escolhas que nem damos conta que fazemos, por isso são automáticas. O “problema” é que se não damos conta do que estamos escolhendo, há algo escolhendo por nós: a mente subconsciente.

Mas antes de falarmos de como a mente funciona subconsciente, vamos falar das duas últimas funções da mente consciente.

mulher treinando muito

Força de vontade

Isto é o que nos motiva a seguir em frente com nossas decisões. Já precisou ficar até mais tarde estudando para aquela prova do dia seguinte? Ou se esforçar para correr só mais um quilômetro para bater a sua meta do mês?

A responsabilidade disso é da força de vontade. Ela funciona como se fosse uma adrenalina mental, para nos impulsionar àquele “um pouco a mais” quando precisamos.

Por outro lado, uma característica dela, muitas vezes desconhecida, é sua limitação. Pense nessa adrenalina mental como uma pilha recarregável. Uma hora ela acaba, então é necessário um tempo para ela carregar.

Isso explica aqueles parentes distantes que conhecemos, que começaram uma dieta ou a academia com toda a determinação do mundo e uma semana depois já estava dando desculpas para não continuar. Essas desculpas também tem uma origem na próxima função da mente consciente.

Parte racional

A próxima função da mente consciente é ser racional. O único objetivo dela é achar um motivo, uma razão, muitas vezes uma desculpa, para fazer as coisas que a gente faz.

Já parou para pensar que tudo o que você faz ou já fez tem um motivo na ponta da língua?

Por exemplo: Por que você está lendo este artigo agora? Por que você acordou no horário que acordou hoje? Por que você está se sentindo assim nesse momento?

A grande questão é que todas as razões que você deu não necessariamente condizem com a verdade. Uma pessoa que acordou atrasada, por exemplo, poderia dizer que não ouviu o despertador por ter ido dormir tarde e estava muito cansada.

Isso é a razão superficial criada pela sua mente consciente, mas a verdadeira razão está mais embaixo, na mente subconsciente.

Mente Subconsciente

É aqui que mora nosso verdadeiro eu, 95% do que fazemos está aqui. Nossas programações do que somos e o que faremos na vida são responsabilidades da mente subconsciente.

Vamos as suas funções.

Memória de longo prazo

Diferente da memória de curto prazo, esta funciona como um disco rígido de um computador. Grava informações quase que de forma permanente, porém o acesso não é tão rápido quando queremos trazê-la para o consciente.

Tudo o que vivemos, desde quando nascemos, foi registrado aqui nesta parte. São memórias que não temos acesso de forma consciente e que moldam nosso destino. Aqui estão armazenadas as crenças que aprendemos e que nem nos damos conta.

Por exemplo, no Brasil é muito comum os pais falarem do dinheiro negativamente: “Dinheiro não traz felicidade”. “Somos pobres, mas somos honestos”. “É muito difícil ganhar dinheiro”.

São coisas aparentemente inocentes, mas que ficam guardadas e são utilizadas no futuro. Quer ver como?

Autoproteção

Essa é a próxima função do subconsciente. Ele que quer o melhor para nós, quer o nosso bem e a nossa felicidade. Porém ele faz isso de acordo com o que ele aprendeu.

Então, seguindo o exemplo anterior, se ele aprendeu que o dinheiro é algo difícil, que traz infelicidade e que o faria parecer desonesto, ele vai fazer de tudo para que você (sem perceber) fuja do dinheiro.

Lembra do exemplo que usei acima, de alguém que acordou atrasado para ir ao trabalho?

Talvez o motivo seja evitar uma promoção que o subconsciente já sente que se aproxima e ele quer se afastar disso, afinal, isso traria infelicidade.

Então sempre que nossa mente quer nos proteger, ela nos influencia para mudar o rumo, e muitas vezes ela usa a função que vamos comentar a seguir.

Emoção

Já sentiu algum desconforto inexplicável ao entrar em algum lugar? Ao conhecer alguma pessoa? Talvez seja seu subconsciente o protegendo de acordo com as crenças que estão armazenadas.

Quando precisamos sentir emoção, o consciente sai de cena e entra o subconsciente. Essa é a função dele, por isso é tão difícil controlar as nossas palavras quando estamos muito nervosos ou irritados.

O lado bom é que a emoção nos aproxima das pessoas que gostamos e também nos ajuda a buscar os nossos sonhos.

Hábitos

Eles ficam armazenados no nosso subconsciente. Nosso cérebro é moldado para economizar energia e este é o objetivo dos hábitos. Já imaginou como seria ter que pensar toda vez que fosse escovar os dentes: “Abro a torneira assim com essa mão, pego a pasta e abro a tampa, com a mão esquerda pego a escova e…”

Quando nossa mente percebe que estamos fazendo a mesma coisa diversas vezes, ela começa a facilitar o processo criando um hábito, para que possamos realizar de forma automatizada.

Outra coisa que influencia a criação dos hábitos são as próprias programações instaladas na nossa mente. No exemplo da pessoa que acha que dinheiro é negativo, ela acaba criando o hábito de sempre gastar mais do que deveria.

Ociosidade

Com todas essas programações que começam a ser criadas desde que nascemos, o subconsciente naturalmente tem mais uma característica: Não querer mudar.

Como já foi mencionado, um dos papéis do cérebro é economizar energia. Imagina quanto trabalho ele teria para alterar tudo que já foi programado. O problema é que tudo está interligado, então alterando uma coisinha ele precisaria reorganizar tudo.

Ainda bem que existe a hipnose para facilitar essa reprogramação.

rapaz tentando esclarecer uma dúvida

O que é hipnose

Eu defino a hipnose como uma forma de driblar o fator crítico da mente consciente para o subconsciente poder aceitar uma sugestão específica. Para entendermos melhor isso, falta entender o que é esse fator crítico.

Fator crítico

Pense nele como um filtro que utiliza todas as funções da mente consciente para selecionar o que vai entrar na mente subconsciente.

O fator crítico faz essa seleção de acordo com o que já está lá na mente subconsciente. Caso contrário, daria muito trabalho ter que mudar o que já está lá dentro, lembra?

Vamos voltar ao exemplo do dinheiro para esclarecer. Imagine se aquela pessoa que tem um monte de programação negativa sobre o dinheiro ouvisse alguém falar: “Faz isso aqui, porque isso vai te ajudar a ganhar muito dinheiro.”

A mente consciente receberia a sugestão e passaria nesse filtro. Então o filtro iria verificar com o subconsciente se essa sugestão pode entrar ou não. Se o subconsciente aceita a sugestão e o sujeito faz aquilo e ganha dinheiro, não estaria o protegendo, afinal, ele acredita que dinheiro faz mal.

Assim, ele avisa ao fator crítico para não deixar essa sugestão entrar. Já que a sugestão foi rejeitada pelo subconsciente, agora cabe ao consciente dar motivos para não aceitar. Então entra a parte analítica pensando na melhor forma de ignorar aquele cara, e a razão cria uma desculpa, como por exemplo: “Conheci alguém que fez isso e se deu mal.”

Definição da hipnose

Voltando a definição, a hipnose é o processo de driblar esse filtro, então o subconsciente tem a oportunidade de aceitar uma sugestão que seja boa e a pessoa queira aceitar.

Isso é mais comum do que se pensa! Por exemplo, quando estamos vendo um filme, sabemos que tudo aquilo é uma encenação, nada é real. Ainda assim, nos emocionamos, rimos ou choramos.

Ou seja, algo que sabemos conscientemente que não é real, impactou diretamente nossas emoções (que faz parte do subconsciente). Isso é a hipnose acontecendo.

Qual o impacto disso?

Agora que você tem esse conhecimento sobre sua mente, passe a prestar atenção nas coisas que você tem feito sem pensar. Nos hábitos que você não gosta ou que nem mesmo tinha consciência.

E o mais importante: Se você for um hipnoterapeuta, explique isso para os seus clientes! Dessa forma, eles terão melhores resultados também!

Para te ajudar a entender melhor sobre tudo isso, recomendo a leitura do meu livro, com muito mais conteúdo e dicas do potencial da hipnose e de como a mente funciona.

Se quiser ter mais dicas de como utilizar a mente a seu favor, me siga no Instagram @MichaelArrudaOficial!

Então, se gostou do artigo, compartilhe com seus amigos e familiares. Te vejo em breve!

Autor do best-seller Desbloqueie o Poder da Sua Mente, Michael também é empresário, palestrante, hipnoterapeuta e presidente da OMNI Brasil.
Começou seus estudos em hipnose aos 13 anos. A paixão pelo empreendedorismo veio logo depois. Em 2015, trouxe a OMNI para o Brasil, a maior escola de hipnoterapia do mundo, presente em 26 países.
Nos últimos três anos, sob o seu comando, o escritório brasileiro se tornou a maior base da instituição em todo o mundo.Michael é especialista em usar a hipnose no sentido de programar a mente para o sucesso.
Sente-se realizado com a missão de ajudar as pessoas a transformarem suas vidas.
Nas horas vagas, ouve rock e devora livros, especialmente biografias e títulos sobre realização pessoal e negócios.

X