Junte-se ao grupo de assinantes e receba dicas, e-books e artigos do HypnoPlace.



Casamento sem sexo: a hipnose pode ajudar?

Ao saber que eu era hipnoterapeuta, ela me contou a sua história. Queria saber se eu poderia ajudar. Casada há 29 anos, não tinha lá muito tesão pelo marido. Não transavam com frequência. Começamos a conversar e eu perguntei como era o sexo no início do relacionamento: muito bom, segundo ela. E satisfatório para ambas as partes. Apenas foi diminuindo com o tempo, a intimidade, a rotina. Nenhum dos dois tinha qualquer trava ligada ao corpo, à sexualidade.

Pensei um pouco sobre o assunto e a orientei a procurar um psicólogo para os dois, um terapeuta de casal. A hipnose pode ajudar a resolver as frustrações de um casamento sem sexo? Pode, claro, mas, na minha avaliação, não era exatamente o caso dela. Logo vamos refletir sobre as situações nas quais a hipnoterapia pode fazer toda a diferença na história de um casal, tenho experiência com clientes que se beneficiaram com o processo. Sigamos. 

Depois de 29 anos juntos, a meu ver, é natural que o fogo já não seja o mesmo dos primeiros tempos. Se antes tudo fluía bem, o desafio é trabalhar no aqui e agora para que o casal se reconecte outra vez. E aí podem entrar em cena táticas variadas, como mudar o que for possível no cotidiano para sair do lugar comum, num acordo entre ambos. Vale fazer viagens juntos, se matricular em alguma aula na companhia do parceiro, voltar a frequentar motéis, como nos tempos de namoro, comprar acessórios sexuais para apimentar a relação ou uma roupa íntima para ele ou ela. Basicamente, investir no novo ao mesmo tempo em que se valoriza a beleza da história que se tem, tentando entender os porquês de tanta calmaria na cama.

Casamento sem sexo, na minha avaliação, não vai muito adiante. Ou não segue com a plenitude com a qual poderia seguir. Para algumas pessoas, afinal, tudo bem ficar muito tempo sem relações, como numa amizade duradoura. Se para ambas as partes está bom assim, quem sou eu para julgar? Cada um deve ser feliz com as suas escolhas e ponto. 

Não é fácil permanecer juntos por quase três décadas num relacionamento no qual exista amor, respeito e parceria, como era o caso dos dois. Fiquei derretida quando ela me disse que, desde o início do casamento até hoje, ele acorda mais cedo para preparar o café da manhã dela. Mesmo que tenham brigado na véspera, ele se levanta, vai lá e faz. Lindo, não? Uma demonstração diária de comprometimento e carinho. Certeza que eles vão se sentir plenamente conectados logo mais. 

Hipnoterapia de casal

Comecei esse artigo com um caso no qual, na minha opinião, a hipnoterapia não necessariamente se aplica apenas para reforçar outros exemplos nos quais a técnica pode ser uma ferramenta maravilhosa para resolver o problema do casamento sem sexo.

Para início de conversa, como funciona o atendimento de hipnoterapia para um casal? Numa primeira sessão de avaliação conjunta, identificamos, entre as questões do par, o que cada um deve tratar. Os dois devem estar de acordo com esses pontos, afinal, é impossível impor uma mudança a alguém. 

Assim, partimos para os processos individuais. E agendamos a sessão de terapia, em separado, para cada cônjuge. Para que cada um tenha a oportunidade de olhar para si, para as causas dos seus problemas. Os mesmos problemas que têm prejudicado o casamento.

É bonito ver como, nessa etapa, cada um se empenha em fazer o seu melhor. Em evoluir por si mesmo e para melhorar a relação com o outro. 

Concluídos os processos individuais, é hora de reunir os dois para uma sessão final conjunta da terapia de casal. Conversamos mais uma vez sobre os problemas que atrapalhavam a relação no começo da terapia, para alinhar os principais pontos abordados. E fechamos o processo com uma hipnose em dupla, com bastante intensidade, para conectar os dois. 

Mulher triste por conta de casamento sem sexo

Fonte: Pixabay

Casamento sem sexo: quando a hipnose pode ajudar 

Um dos casais que atendi em 2019 tinha exatamente a demanda descrita no título desse artigo: casamento sem sexo. Eram dois jovens, com menos de 30 anos. Bonitos, apaixonados, felizes com as suas profissões, sem filhos. Dividiam o mesmo teto há um ano, após cinco anos de namoro. 

Na avaliação, já deu para ter uma ideia do que estava acontecendo: ele era inseguro e ela tinha alguns bloqueios em relação ao sexo, não se permitia ser totalmente livre nesse campo e atribuía, ao parceiro, a responsabilidade de fazer as coisas acontecerem. Alinhamos esses pontos como foco de tratamento e fomos em frente. 

Ela tinha um histórico de abuso na infância, praticado por duas mulheres de sua família (sim, mulheres também podem ser abusadoras, foi isso mesmo que você leu). Um trauma ressignificado com muita coragem e vontade de se libertar do problema. 

Ele, do seu lado, tinha, registrados no subconsciente, situações que o fizeram sentir inseguro na infância. Também foi uma terapia individual bonita, com muita entrega e vontade de evoluir. 

Na última sessão dos dois, fiquei feliz ao ouvir que estava tudo bem na vida sexual deles. De fato, me pareceram tranquilos quanto a esse assunto. Para mim, a prova de que casamento sem sexo tem solução sim. De acordo com a situação, a hipnose pode ajudar e muito, como ajudou o casal acima. 

A coragem de olhar para o problema 

Se você vive num casamento sem sexo, pare e pense um pouco: as coisas podem ser diferentes. Acima de tudo, é preciso ter coragem para olhar para o problema. É delicado? Sabemos que sim, mas também temos a consciência de que fingir que o incômodo não existe só piora tudo. 

Leia sobre o assunto, informe-se, procure um bom hipnoterapeuta, peça dicas. Converse com um profissional capaz de olhar para a sua história de amor e ajudar a identificar as técnicas mais eficientes para o seu caso. 

Sabemos que nem sempre é simples estar casado, compartilhar o teto e a vida. O cotidiano muitas vezes pesa, o cansaço pelo trabalho, os dilemas familiares, a falta de tempo, os filhos. São muitos fatores em jogo, muitos pontos a alinhar o tempo todo. A questão é: se existe vontade de seguir juntos, e consciência de que é preciso primeiro olhar para si antes de apontar o dedo para o outro, tudo flui. 

Que, na sua história de amor, tudo flua bem. Sejamos felizes! 

Gostou do artigo? Compartilhe com os seus amigos e familiares. Indique para quem você acreditar que a reflexão será útil. Obrigada pela leitura e pela companhia. Até breve, só o melhor para nós! 🙂

Hipnoterapeuta OMNI. É especializada em hipnoterapia para crianças (Hypnokids) e mulheres. Também é mestra em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Defensora dos direitos da mulher, ajuda a promover o bem estar e a combater as desigualdades à frente da sua Isabela Barros Hipnose Clínica.

X